Vitamina D e auto-imunidade

Suplementação Veja como a vitamina D pode ajudar sendo uma excelente aliada contra diversas doenças autoimune.
Você vai ler:

A deficiência de vitamina D (VD) está associada a uma vasta lista de doenças incluindo as doenças auto-imunes.

O sistema imunológico é responsável pelas defesas do organismo.

A resposta imunológica do organismo saudável às agressões externas (vírus, bactérias) e internas (restos celulares), é complexa.

Resumidamente os linfócitos TCD4+ activados produzem citoquinas que promovem o crescimento e diferenciação dos linfócitos B, macrófagos e outras células, levando a produção de imunoglobulinas ou anticorpos. 

O que é a auto-imunidade?

É uma resposta imune inadequada a antigénios próprios, com completa desregulação das defesas naturais.

No processo evolutivo humano, a Natureza criou um mecanismo de defesa, a auto tolerância, capaz de tolerar ou ignorar as suas próprias células.

Quando o sistema imune reconhece as próprias células como antigénios, desencadeia uma resposta forte e desenvolve-se uma doença auto-imune. 

A causa pode ser multifactorial, em que a genética, o ambiente, as infecções e o estado emocional, podem interagir.

A deficiência de VD está presente na maior parte destas doenças e contribui para o aumento da produção de auto anticorpos pelas células T.

Os auto anticorpos podem causar lesão celular e tecidular, e afectar um órgão como o caso da tiroidite ou duma forma sistémica como é o caso do Lúpus ou Artrite Reumatóide.

A inflamação produzida aumenta o fluxo de linfócitos, que perpetuam a auto-imunidade.

Existem cerca de 160 doenças auto-imunes estudadas que afetam cerca de 1 a 2% da população mundial, com tendência a aumentar em todo o mundo.

Salientamos as mais comuns:

  •  A Esclerose Múltipla;
  • Lúpus, Artrite Reumatóide;
  • Diabetes tipo1;
  • Doença de Chron;
  • Colite ulcerosa;
  • Psoríase, Vitiligo;
  • Síndrome de Sjogren;
  • Hipotiroidismo;
  • Pelviespondilite Anquilosante;
  • Dermatite atópica;
  • Vasculites;
  • Asma;
  • Doença periodontal;
  • Uveíte;
  • Alergias e Esclerodermia.

Os sintomas podem ser inespecíficos como: fadiga, tonturas, mal-estar geral, sintomas depressivos. 

E qual é o papel da Vitamina D? 

As células do sistema imune possuem receptores da VD (VDR).

Ao longo do genoma humano foram encontrados 2.776 pontos de ligação com receptores da VD que é responsável pela regulação de 229 funções biológicas.

O metabolito endógeno da VD, o calcitriol, 1,25(OH)2D3 é uma verdadeira hormona esteróide e exerce atividade na imunidade inata e adaptativa.

A VD sendo responsável pela reparação e manutenção celular, estimula a fagocitose dos restos celulares derivados da morte celular.

Tem efeito na inibição da proliferação dos linfócitos e monócitos.

A VD é imunomodeladora, o que significa que quando um macrófago ou monócito é estimulado por um agente agressivo, é enviada uma mensagem para os VDR e é ativada a enzima 25 –hidroxivitaminaD-1 alfa hidroxilase.

Se o nível sanguíneo da VD, no momento, for superior a 30ng/ml, existe substrato adequado para activar a VD em calcitriol.

Esta forma activa da VD promove a produção de peptídeos antimicrobianos, a catelicidina e a beta-defensina 2, que estimulam a imunidade e induzem a destruição dos agentes infecciosos. 

A principal fonte de VD é o Sol. Existem vários factores que influenciam a síntese de VD:

  • Latitude;
  • Estação do ano;
  • Pigmentação da pele;
  • Obesidade;
  • Idade;
  • Poluição;
  • O uso excessivo de protectores solares.

Factores genéticos nas enzimas que atuam na síntese de VD podem causar deficiência.

São considerados níveis plasmáticos normais de VD valores entre 30 a 100ng /ml. 

Estudos científicos têm demonstrado que a VD tem um impacto positivo nas doenças auto-imunes quer na prevenção, quer no tratamento.