Vinho: bebemos sempre ou bebemos às vezes?

Bem Estar Com que frequência beber vinho, descubra como a consumação de vinhos traz benefícios à saúde, veja quais vinho tomar.
Você vai ler:

Beber vinho ou não beber, eis a questão! À qual se juntam também as perguntas: sempre ou às vezes? E porque é benéfico o vinho?

Beber vinho ou não beber?

Se não gosta de vinho não beba! Independentemente dos benefícios que possa trazer, não chegam a ser assim tão milagrosos que valha a pena dizer para que beba todos os dias mesmo que não goste ou não tenha esse hábito. Mas se gosta e bebe…

Que tipo de vinho?

Tinto, pois com certeza, pois é nesta bebida que a quantidade de resveratrol é maior.

Se compararmos bebidas brancas, cerveja e vinho tinto, o vinho tinto fica quase sempre a ganhar.

Prefira vinho tinto com mais frequência do que outras bebidas alcoólicas. Para os amantes da cerveja , fica de novo a indicação de que esta pode também ser benéfica em algumas situações.

Lembre-se que todo o consumo de álcool em excesso é prejudicial à saúde.

Benefícios do vinho tinto em quantidades moderadas 

Prevenção de doenças do sistema cardiovascular, infarto do miocárdio, insuficiência coronária e acidentes vasculares cerebrais.

Melhoria de sintomas e equilíbrio do metabolismo em casos de diabetes;

Prevenção de doenças neurológicas degenerativas;

Antioxidante e anti-inflamatório;

Aumenta a esperança de vida.

Às vezes ou sempre?

A resposta mais sensata é "às vezes”. Se confirmar na Pirâmide da Alimentação Mediterrânica, que tantos benefícios para a saúde e o ambiente tem, a água e infusões são as bebidas de eleição.

No que toca a bebidas alcoólicas, é o vinho tinto que se destaca como uma opção saudável, com moderação.

Muitos dos estudos mais recentes mostram que efectivamente o que faz bem no vinho não é o álcool mas sim o resveratrol , composto polifenólico que existe na casca e grainha das uvas pretas.

Outros polifenóis e antioxidantes existem também outras frutas e legumes.

Os benefícios cardiovasculares do vinho são superiores em pessoas que também têm um nível de consumo de frutas e legumes elevado, levando a pensar que é o conjunto da alimentação rica em antioxidantes e polifenóis que faz bem.

Quando se analisa o consumo de álcool por si só, mesmo que moderado, este pode estar associado a incidência de cancros,  e alterações cardíacas, sendo mesmo recomendada a sua eliminação em muitas situações.

Claro que também se encontram estudos a referir que pode ser benéfico em pequenas quantidades.

O excesso de álcool é sempre prejudicial.

Mesmo para o vinho tinto, o máximo que se deve beber por dia é 1 a 2 copos pequenos, sendo que as senhoras devem beber menos que os homens pelas particularidades do seu organismo.

Se tem mais de 65 anos e gosta de beber vinho tinto, pode continuar a fazê-lo se o seu médico não der indicação contrária.

Se prefere outros tipos de vinho ou cerveja, não ultrapasse de igual forma o total de 1 a 2 copos por dia para homens e 1 para mulheres.

Nas bebidas destiladas a quantidade desce para 1/3 de copo para homens e 1/5 para mulheres.

Assim, hidrate-se muito bem com água e infusões, mas se gosta do seu pequeno de vinho uma vez por dia, esse é um hábito que lhe pode ser benéfico, juntamente com uma alimentação rica em legumes e frutas.