Viajar sozinho - criar uma história

Sustentabilidade Você ja viajou sozinho? Nós vamos mostrar aqui algumas dos benefícios de viajar e por quê é tão importante para nós.
Você vai ler:

Viajar é uma necessidade! E porquê?

No tempo actual, as nossas vidas estão dominadas por lutas constantes e por actividades que nos impõem limites exigentes.

Agarrados a um dia-a dia comum, em que não há  muitas vezes lugar à expressão do nosso eu,  procuramos no lazer um momento de equilíbrio/renovação.

As viagens permitem sentir a vida de uma forma intensa, e livre de restrições. Libertos a nível físico e de pensamento   ajudam- nos a  aperfeiçoar a capacidade de nos olharmos e olharmos os outros, de nos apreciarmos e apreciarmos os outros.

O mundo torna-se  mais uno e o lugar de cada um parece estar mais ligado ao lugar do outro.  

Adquirirmos a consciência de como vivemos e de como recordamos o conjunto de momentos da nossa existência pressupõe  contrariar a atitude, muitas vezes passiva, perante a atribuição de sentido pelos outros e pelas circunstâncias à nossa própria existência.

Viajar não é mais do que a recusa da inércia e o assumir a necessidade de agir.

O que ganhamos então nas viagens

  • As viagens proporcionam momentos em que o romper hábitos, esquemas, preconceitos, desafiar o velho, desaprender rotinas, deixar para trás as máscaras, as certezas, as estereotipias torna o individuo mais criativo. Ao sermos criativos cuidamos do nosso equilíbrio.
  • Maior Liberdade de expressão. A expressão facilita a excitação emotiva, libertação, compreensão interior e promove o auto-conhecimento.
  • Maior capacidade de atuar, sonhar, perceber, sentir e reflectir. O homem racional consegue libertar-se.
  • Maior liberdade para experimentar. Experimentar e expressar permite-nos transformar e sermos transformados.

E, nem todos, mas alguns gostam de viajar sozinhos. Descrito como um grande prazer e uma grande aventura é muitas uma decisão tomada em períodos de transição como forma de crescimento pessoal.

Estar num sítio estranho com pessoas desconhecidas desinibe e parece dar uma sensação de segurança em si mesmo. Estar só ou aprender a estar só é uma fase importante para aprender a estar com o outro.

Adquire-se autonomia e uma noção mais exacta do espaço individual do outro.

Pode tornar-se num momento mágico de aquisição de confiança e de reforço da identidade individual.

Seja só, seja com amigos seja com a família, viajar ajuda-nos a sermos protagonistas de uma historia com movimento (A nossa história).

Tempo mágico da criação e do afeto, como forma de responder às pressões da vida contemporânea, que tende a reduzir o tempo às atividades alienantes da produção e/ou do consumo.

Há uma viagem para cada um… Em busca de sonhos, de memórias, de construção de recordações, de bem-estar e de Felicidade do Eu.

No sentido mais simples viajar é procurar e como metáfora ou realidade todo o indivíduo o faz.

Na procura de si ou do mundo, importante é que o ponto de chegada esteja à frente do ponto de partida.