Suplementos vitamínicos e minerais não substituem os alimentos

Suplementação Entenda os benefícios do suplementos vitamínicos, saiba como eles podem ser um complemento às refeições, mas lembre-se tais produtos não substituem a alimentação
Você vai ler:

Cada vez mais pessoas tomam suplementos vitamínicos e minerais que durante um determinado período de tempo, quer durante muito tempo seguido.

Quando a toma é aconselhada por um profissional de saúde qualificado, esta toma tem um determinado objetivo, e tem obviamente um determinado tempo limite (exceto em algumas situações específicas).

Infelizmente, nem todas as pessoas que tomam estes suplementos nutricionais são devidamente acompanhadas ou aconselhadas.

Em muitos casos a recomendação é feita num balcão de venda, em anúncios televisivos ou mesmo através de folhetos publicitários.

Um grande número de suplementos vitamínicos e minerais são vendidos com um determinado propósito: "para otimizar o rendimento cerebral”, "para prevenir a osteoporose”, etc.

Comecemos por esclarecer que só porque um determinado nutriente foi associado a um determinado efeito, não significa que basta começar a tomá-lo para conseguirmos obter esse determinado efeito.

Um exemplo claro é o cálcio e a osteoporose: não basta tomar cálcio para garantir uma saudável massa óssea sendo necessários não só outros nutrientes,  como o magnésio e a vitamina D, mas também outras medidas, tal como a prática de exercício físico e o controlo do stress.

Da mesma forma que não basta tomar iodo para garantir um adequado funcionamento das hormonas tiroideias, sendo importante garantir níveis adequados de outros nutrientes, nomeadamente o selênio, a vitamina D, A, C ou mesmo o zinco.

Mas não comece a juntar todos estes suplementos, pois pode induzir desequilíbrios por exemplo: se começa a suplementar zinco sem qualquer controle, os seus de cobre poderão baixar demasiado,  o que acarreta determinadas consequências.

E possivelmente uma das piores consequências desta noção de que basta tomar um determinado nutriente (ou conjunto de nutrientes) para assegurar um determinado efeito, é a noção de que não precisamos fazer mais nada – nomeadamente ter uma alimentação equilibrada.

Não é raro encontrarmos pessoas que não têm cuidados alimentares adequados ou de estilo de vida, e que tomam suplementos vitamínicos e minerais "para tentar compensar as falhas da sua alimentação.”

Uma má alimentação não significa apenas que estamos a ingerir menos nutrientes essenciais, mas pode significar a ingestão de diferentes moléculas que interferem com o correto funcionamento do organismo, ou que induzem inflamação.

Cada alimento ingerido, para além dos nutrientes (e no caso da comida processada, diferentes anti-nutrientes ou compostos tóxicos sem qualquer capacidade nutritiva), estamos a dar uma informação às nossas células, e o nosso organismo vai responder.

Essas respostas podem ser hormonais, inflamatórias, a nível da expressão genética e a nível de funcionamento fisiológico e metabólico.

Daí que sejam muitos os profissionais de saúde que dizem que a cada dentada estamos a prevenir doenças ou por outro lado, a induzi-las.

Além disso, os suplementos vitamínicos e minerais existente, para além de terem apenas os nutrientes estudados e com capacidade de serem isolados (deixando de fora, por exemplo, os milhares de fitoquímicos com inúmeros efeitos benéficos no nosso organismo), nem sempre fornecem os nutrientes da forma mais bem absorvida pelo organismo, e em muitos casos vêm repletos de aditivos (os chamados excipientes), alguns deles com conhecidos efeitos negativos.

Daí que, se quer realmente melhorar a sua saúde e prevenir diferentes patologias, comece por ter um estilo de vida saudável, que inclua a alimentação (de preferência de origem biológica), exercício físico regular, evitar a absorção de diferentes tóxicos ambientais, e uma correta gestão de stress, e relações pessoais.

E depois complemente com determinados suplementos nutricionais específicos, tomados durante um período de tempo determinado, para colmatar necessidades acrescidas, ou para otimizar determinadas funções metabólicas e fisiológicas.

Os suplementos vitamínicos e minerais devem ser por isso usados quando necessários, durante um período de tempo recomendado, e como complemento a uma alimentação saudável e adequada a cada indivíduo.