Ser pai e mãe: um desafio de sustentabilidade

Sustentabilidade Descubra quais os desafio que os pais enfrentam e saiba como é ser um pai ou uma mãe hoje em dia.
Você vai ler:

Os Iroqueses têm uma máxima muito interessante: em todas as deliberações, consideram o impacto das suas decisões nas sete gerações seguintes.

Ser Mãe/Pai é algo que merece essa ponderação, pois não se trata apenas de colocar mais vidas novas no mundo ou abraçar as que já existam mas precisam de família, deixando-o como estava antes.

Essas vidas vão tocar milhares de outras vidas durante a sua existência e, possivelmente, também depois, como uma gota de agua que cai num grande lago, influenciando toda a massa com as ondas que cria.

E apesar de cada individuo ter personalidade própria, o ambiente que o rodeia e, acima de tudo, a vivência familiar influenciam em muito o desenvolvimento da pessoa, do adulto em potência e a marca que este/a deixará no mundo.

A responsabilidade é tremenda e se considerarmos que o actual modo de vida é insustentável e caminhamos a passos largos para um mundo onde a sobrevivência será, no mínimo, difícil (falta de água potável, poluição global e diminuição das fontes energéticas mais utilizadas hoje em dia), mais ponderada deve ser a decisão de ser Mãe/Pai.

Devemos por isso deixar de ter filho(a)s?

Claro que não!

Apenas devemos fazê-lo com a certeza de que temos que optar por hábitos mais sustentáveis, que permitam que as nossas crianças se desenvolvam plenamente, aprendendo a respeitar a Natureza, a si próprios e uns aos outros.

Decisões aparentemente simples (como que tipo de fraldas e brinquedos a utilizar, que alimentação consumir, onde e como os alimentos devem ser adquiridos), podem ter implicações até à sétima geração! Poderemos inconscientemente estar a:

  • Poluir o ambiente com algo que demora séculos a ser degradado (as fraldas descartáveis demoram 450 anos a ser decompostas);
  • Consumir recursos que dificilmente podem ser substituídos (o petróleo, do qual derivam a maioria dos plásticos, demora milhões de anos a formar-se) ou foram obtidos em locais que devem ser preservados (ao abater árvores na Amazónia para fazer brinquedos, estamos a privar a Humanidade de oxigénio, … );
  • Ingerir substâncias tóxicas que provocam doenças (pesticidas, etc.), que alteram o nosso metabolismo (hormonas, etc.), e cujas implicações ainda não compreendemos completamente mas já demonstram ser prejudiciais (por exemplo, organismos geneticamente modificados);
  • Adquirir alimentos cuja produção é baseada na exploração dos seus produtores, não potencia a economia local e nacional e, consequentemente, empobrece a nossa comunidade e o nosso país;
  • Comprar tudo o que necessitamos, sem nos preocuparmos em produzir, trocar ou recorrer a mercados solidários, formas validas e mais sustentáveis de comércio, para adquirir tudo o que necessitamos.

Todos sabemos que as crianças imitam o exemplo dos pais, o que torna a responsabilidade de ser Mãe e Pai enorme: seremos o molde para a actuação das Mães e Pais do futuro.

Por isso, seja por o milagre da Vida nos bater à porta inesperadamente, por procurarmos uma nova vida activamente, ou por abraçarmos uma alma no seio da nossa família, estejamos conscientes que a melhor lição são os nossos actos e que, com todos eles, estamos a influenciar a Humanidade, o planeta Terra e o Universo, agora e no futuro!