Se o seu cansaço não melhora deve verificar o seu nível de Vitamina D

Suplementação O cansaço frequente pode ser um dos fatores da falta de vitamina D. Veja a importância desta vitamina para a saúde.
Você vai ler:

Cientistas acham que a vitamina D age como sentinela sobre o estado de saúde do nosso corpo e demonstraram a influência do estado da Vitamina D.

E o efeito da sua suplementação na expressão genética nos linfócitos e na reparação do ADN.

A Natureza criou um mecanismo para proteger o corpo das agressões do sistema imune, com recurso à Vitamina D, no controlo da actividade dos linfócitos desregulados.

O aumento da Vitamina D afecta positivamente várias funções biológicas, em doenças como o cancro, doenças auto-imunes ou cardiovasculares.

Por isso é importante ter níveis de Vitamina D suficientes durante toda a vida.

Vivemos numa época de grandes avanços científicos e presenciamos quase todos os dias descobertas inovadoras sobre a saúde.

Mas continuamos a sofrer de variadíssimas doenças que nos tiram a qualidade de vida, apostando pouco na prevenção.

O cansaço pode ser a ponta do iceberg de múltiplos problemas de saúde graves:

Infecções, desequilíbrios hormonais (hipotiroidismo, disfunção adrenal), problemas cardiovasculares, depressão, fibromialgia, doenças neurológicas degenerativas (Parkinson, Alzheimer).

Doenças auto-imunes, cancro, exposição a químicos ambientais (intoxicação por mercúrio e chumbo), ... .

A deficiência de Vitamina D afecta também grávidas e recém nascidos, o que pode predispor para as doenças auto-imunes.

Em indivíduos com mais de 60 anos, a inflamação pode estar associada a deficiência de Vitamina D.

A hipovitaminose D pode levar à perda de massa óssea e muscular, que é comum no envelhecimento.

A vitamina D trata com sucesso a fraqueza muscular e dor óssea.

O diagnóstico destas doenças que, inicialmente apenas podem causar cansaço, é na maior parte das vezes tardio.

Os seres humanos necessitam de exposição solar diária para o bom funcionamento do relógio biológico.
Vida frenética, com pouca exposição solar.

O uso excessivo de filtros solares e o risco de melanoma, contribuem para a existência de hipovitaminose D numa grande percentagem da população ocidental.

Já existem muitos alimentos fortificados com Vitamina D mas a dose diária não atinge mínino desejável.

A melhor forma de saber se sofre de hipovitaminose D é fazer uma análise ao sangue e, mesmo que não tenha sintomas de cansaço, deve fazer o teste se tiver antecedentes familiares de:

Cancro, hipertensão arterial, osteoporose, osteoartrite, depressão, esquizofrenia, autismo, enxaquecas, epilepsia, diabetes, fibromialgia ou doenças auto-imunes.