Sabe qual é o melhor protetor solar para si?

Bem Estar Descubra como escolher o protetor solar ideal, entenda como a escolha errada pode trazer problemas para à saúde.
Você vai ler:

Quando se viaja, seja para relaxar ou para trabalhar, a exposição ao sol é muitas vezes maior que o habitual e um protetor solar faz parte da lista de coisas que deve levar consigo.

Saiba no entanto que há formas de apanhar sol sem que precise de protetor solar. A sua vitamina D agradece.

Mas quando está ao sol em horas a que não devia, o protetor assume uma grande importância.

Fator de proteção solar

Um protetor de fator 30 protege o dobro de um protetor de fator 15? Não.

Um protetor de fator 15 protege a pele de 93% das radiações UVB e um protetor de fator 30 protege de 97%.

O que varia é que com um protetor de 15 tem de aplicar protetor mais vezes!

As radiações UVB são as responsáveis pelo vermelho da pele e as UVA são responsáveis pelo envelhecimento da pele e pelo cancro.

Assim é importante que tenha a certeza que o seu protetor também protege contra radiações UVA (verifique a embalagem).

Prefira protetores solares físicos

  • Protetores solares químicos: São os mais comuns, têm compostos químicos que são absorvidos pela pele e que absorvem os raios solares não permitindo que nos lesem;
  • Grande parte dos compostos nestes protetores são potenciais alteradores endócrinos que podem ser perigosos por exposição repetida, causando alterações hormonais que podem aumentar o risco de cancro, alterações na puberdade, baixo peso ao nascer,  etc;
  • Todos os protetores químicos avaliados pelo Environmental Working Group tinham pelo menos um composto  potencialmente perigoso.

Exemplo: Oxibenzona. Muitos apresentam vitamina A (palmitato de retinol) que quando aplicado na pele e perante exposição ao sol, pode aumentar o risco de cancro.

Protetores solares físicos: Possuem na sua constituição minerais como o zinco, titânio ou ambos e formam uma proteção na pele que não é absorvida e que reflete a radiação.

Há alguns anos, estes eram os protetores que por mais que esfregassem, ficava sempre uma camada branca.

Agora existem protetores físicos com nanopartículas que já não deixam a camada branca na pele.

Quando tomar a sua decisão, pondere:

  • Escolha um produto que proteja contra radiações UVA e UVB;
  • Verifique se é à prova de água;
  • Prefira cremes e não pós ou sprays, pois o perigo de inalação é grande e não quererá estes compostos nos seus pulmões;
  • Prefira protetores de filtro físico. Estes protetores não precisam ser colocados com tanta frequência como os protetores químicos. Ao escolher a proteção física está também a ser mais amigo da natureza.
  • Se ainda assim preferir um protetor químico:
  • Não escolha os que possuem: oxibenzona, vitamina A ou repelente de insetos;
  • Escolha os que possuem: Avobenzona ou Mexoryl Sx;
  • Tenha consciência de que com alguns protetores químicos ao fim de 1 hora já perdeu 90% da proteção. Tem de reaplicar frequentemente;
  • Para ter a certeza de quando deve reaplicar o protetor, pode usar uma pulseira UV.

Quando aplica em si o produto, aplique também na pulseira e a cor desta irá mudar quando chegar a hora de reaplicar e quando for hora de sair do sol.

A melhor protecção de todas é com certeza não apanhar sol nas horas de maior intensidade. Saiba quando deve apanhar sol em segurança.