Quer ser saudável quando for grande? Comece quando é pequeno!

Alimentação Entenda como a alimentação saudável na infância auxilia na forma como iremos nos alimentar na idade adulta.
Você vai ler:

Com a idade vêm diferentes problemas de saúde: as dores articulares, a cabeça que deixa de ser o que era, a energia que vai sendo cada vez menor, entre tantas outras maleitas.

Com o avançar dos conhecimentos médicos, a esperança de vida aumentou bastante, mas para muitos, a esperança de vida com ausência de doença diminuiu e muito!

Muitos de nós tomamos diariamente variados fármacos para doenças crônicas como a diabetes, a hipertensão, controle dos lípidos sanguíneos, e a venda de medicamentos como os antidepressivos têm vindo a aumentar.

Para muitos, a toma de medicação de forma regular começa já de tenra idade, com os diferentes medicamentos para a asma, alergias, para a capacidade de atenção, hiperatividade, e até mesmo ansiedade.

Temos esperança de vida, mas desde quando é que perdemos parte da qualidade de vida? Diferentes especialistas têm vindo a revelar que foi a partir do momento que mudamos grande parte dos nossos hábitos de vida, nomeadamente, desde que:

  • Os partos por cesariana deixaram de ser por motivos médicos bem definidos. Ao alteramos a forma como nascemos, alteramos uma das mais importantes vias de colonização e formação do nosso microbioma, que tem vindo a revelar um papel fundamental na nossa saúde;
  • O leite materno foi substituído por fórmulas – eliminando o reforço nutricional, mas em especial imunitário que este fornece ao recém nascido;
  • Os corantes, e outros aditivos, os açúcares, as gorduras hidrogenadas e os produtos teoricamente comestíveis passaram a fazer parte da alimentação das nossas crianças, dos nossos jovens e dos adultos;
  • Os hortícolas e a fruta deixaram de ter um lugar de destaque na nossa alimentação;
  • Fomos sobrecarregando a nossa alimentação com diferentes agrotóxicos, que contribuem para a sobrecarga tóxica a que estamos diariamente sujeitos pelo ar que respiramos;
  • Alguns destes agrotóxicos são ainda capazes de atravessar a placenta e chegar ao feto podendo eventualmente influenciar a forma como se desenvolve;
  • Os nossos sistemas de desintoxicação deixaram de usados apenas para eliminar os restos do metabolismo e alguns compostos ambientais, para passarem a ser sobrecarregados com as centenas ou milhares de compostos tóxicos que absorvemos através dos nossos pulmões, pele e trato gastrointestinal;
  • Os antibióticos deixarem de ser usados de forma assertiva e passaram a ser usados de forma abusiva;
  • O stress deixou de ser algo que nos protegia contra determinadas ameaças que punham em risco a nossa vida, e passou a fazer parte do nosso dia a dia;
  • As emoções tóxicas passaram a fazer parte dos nosso dias, substituindo sentimentos de gratidão, amor e paz;
  • Fomos começando a combater sintomas em vez de perceber a real causa dos problemas e desequilíbrios que nos atingem;
  • O sedentarismo passou a fazer parte do nosso dia a dia, e a atividade física a ser algo que fazemos algumas vezes por semana, ou mesmo raramente.

Talvez esteja na altura de perceber que estamos a ir pelo caminho errado e voltar atrás, retomando hábitos antigos e seculares e apostando na prevenção.

E deixar que os diferentes conhecimentos científicos e médicos continuem a avançar, para que nos possam ajudar quando as doenças não associadas ao estilo de vida nos atinjam.

Porque a idade avança para todos, e comparativamente com o futuro, somos todos pequenos, comece já hoje a mudar, de forma a construir um futuro melhor.