Psicoterapia: mitos e verdades

Bem Estar Veja os mitos e verdades sobre a psicoterapia, como ela pode ajudá-la com os problemas emocionais e cuidar da saúde mental.
Você vai ler:

Mito 1

Somente as pessoas que estão loucas vão a uma sessão de psicoterapia.

Verdade 1

As pessoas procuram a psicoterapia devido a uma série de razões. Alguns buscam psicoterapia para:

  • O tratamento de depressão;
  • Ansiedade;
  • Abuso de substâncias aditivas.

Mas outros querem ajuda, de forma a aprenderem a lidar com grandes transições de vida, como por exemplo:

  • A perda de um emprego;
  • Um divórcio;
  • a morte de um ente querido.
  • No entanto, outros, ainda, precisam de ajuda para:
  • gerenciar e equilibrar as demandas da paternidade;
  • o trabalho e as responsabilidades familiares;
  • lidar com a doença médica;
  • melhorar as suas habilidades de relacionamento;
  • gestão de outros agentes estressantes que podem afetar quase todos nós;

Qualquer um pode se beneficiar da psicoterapia.

Mito 2

Conversar com familiares ou amigos é tão eficaz como ir a um psicólogo.

Verdade 2

  • O apoio da família e dos amigos é importante quando estamos a passar um momento difícil. Mas um psicólogo pode oferecer muito mais.
  • Os psicólogos têm anos de formação especializada, treino e experiência que os tornam especialistas na compreensão e tratamento de problemas complexos.
  • Veja os mitos e verdades da psicoterapia, como ela pode ajudar em problemas emocionais e como cuidar da saúde mental.E a pesquisa mostra que a psicoterapia é eficaz e útil .
  • As técnicas que um psicólogo utiliza durante a psicoterapia são desenvolvidas ao longo de décadas de pesquisa e representam mais do que "apenas ouvir e falar. "
  • Os psicólogos reconhecem padrões de pensamento ou comportamento, de uma forma mais objetiva do que os familiares.
  • Além disso, nós podemos ser completamente honestos com o nosso psicólogo, sem a preocupação de que alguém vá saber o que foi revelado.
  • A relação terapêutica está  alicerçada na confidencialidade.

Na verdade, as pessoas costumam dizer aos seus psicólogos coisas, que eles nunca antes tinham revelado a ninguém.

Mito 3

Um psicólogo só vai atribuir a culpa dos seus problemas aos seus pais ou às suas experiências de infância.

Verdade 3

Uma componente da psicoterapia poderá implicar explorar experiências da infância e eventos importantes que afectaram a sua vida.

Relacionando as informações do seu histórico familiar pode ajuda-lo a si e ao seu psicólogo a entender as suas percepções e sentimentos, as suas estratégias actuais, e ver os padrões que se desenvolveram.

Ao olharmos para trás, podemos entender melhor o presente e fazer mudanças positivas para o futuro.

No entanto, em alguns casos, o psicólogo irá optar por se concentrar principalmente sobre o problema ou crise que trouxe para o tratamento e não mergulhar no passado.

Você vai aprender como incorporar novas técnicas e utilizar ferramentas que o irão ajudar a mudar os seus pensamentos ou comportamentos que contribuem para o seu problema actual.

Mito 4

Você vai precisar de fazer psicoterapia, durante, muitos anos ou mesmo o resto da sua vida.

Verdade 4

A psicoterapia é um processo muito individualizado. Num estudo, por exemplo, metade dos pacientes em psicoterapia melhoraram após oito sessões, enquanto 75 % tinham melhorado em 6 meses.

É algo que você e o seu psicólogo devem falar nas reuniões iniciais ao desenvolver um plano de tratamento.

  • O objetivo de seu psicólogo não é mantê-lo como cliente para sempre, mas sim, capacitá-lo com competências para que funcione de uma forma autónoma;
  • O estigma ligado à psicoterapia é um forte impedimento para as pessoas procurarem a ajuda adequada. Mas a obtenção de ajuda é agora vista como um sinal de desenvoltura;
  • Os investigadores continuam a descobrir novas ligações, enfatizando o valor destes cuidados da saúde mental para garantir uma boa saúde física;
  • Problemas emocionais podem aparecer como sintomas físicos;
  • E quando estamos fisicamente doentes, podemos desenvolver problemas emocionais.