Podemos retardar o processo de envelhecimento?

Bem Estar Fórmula da juventude? veja como uma alimentação balanceada e algumas práticas saudáveis podem nos manter jovens por mais tempo.
Você vai ler:

Claro que podemos, otimizando as nossas hormônios!

Chegar aos 90 e mais anos com qualidade de vida, está ao nosso alcance na era actual.

Envelhecer é natural apesar de vivermos numa época em que se procura a juventude eterna.

A ciência revela que as nossas células têm capacidade de reprodução finita controlada pela genética.

Uma estrutura celular existente na porção terminal do cromossoma, o telômero, controla a degradação celular.

Há autores que dizem que envelhecemos porque diminuímos a produção de hormonas.

As hormonas produzidas pelo sistema endócrino, atuam como mensageiros e controlam várias funções no organismo.

Podemos retardar o processo de envelhecimento?

Claro que podemos, otimizando as nossas hormonas!

A correcção dos desequilíbrios hormonais e estabelecer a harmonia funcional do corpo humano nas diversas fases da vida, pode contribuir para uma longevidade sã, ativa e feliz.

O doseamento hormonal, através de análises ao sangue e urina é fácil e acessível. Ambos os sexos têm as mesmas hormonas, o que varia é a quantidade no sangue.

Na adolescência e na idade fértil quando as hormonas estão no máximo devemos estar atentos aos desequilíbrios que se podem manifestar de diversas formas, ter atenção aos tóxicos ambientais e à disrupção hormonal.

Na menopausa e andropausa, com aparecimento dos primeiros sinais de envelhecimento, em maior ou menor grau, todos temos deficiência em alguma destas hormonas: adrenocorticotrofina (ACTH que actua na cápsula supra renal, responsável pela produção de cortisol e aldosterona), calcitonina, dehidroepiandrosterona (DHEA), eritropoetina, estrogénios, progesterona, hormona de crescimento (HGH), insulina, testosterona, tireoide e melatonina.

A deficiência hormonal interfere com os neurotransmissores: dopamina, serotonina, GABA, acetilcolina, noradrenalina e adrenalina.

Perturbações mentais e psicológicas podem alertar para a deficiência hormonal.

Se apresenta de alguns destes sintomas, pode sofrer uma deficiência hormonal, podendo estar várias hormonas envolvidas:

Aparecimento precoce de rugas e cabelo branco, fadiga, declínio cognitivo - pensar na deficiência em DHEA, considerada hormona do envelhecimento.

Fim da menstruação, depressão, insónia, doenças cardiovasculares, perda da líbido, osteoporose e perda da massa muscular - pensar na deficiência em estrogénios, progesterona e testosterona (menopausa).

Dificuldade em adormecer, problemas de memória - pensar na melatonina.

Pele seca, queda de cabelo, obstipação, alteração do peso, problemas de memória e concentração - pensar em deficiência na tiróide.

Aumento da gordura abdominal, falta de forças - pensar em HGH.

Intolerância ao stress, hipotensão ortostática, doenças auto-imunes - pensar na deficiência de cortisol (pode necessitar de tratamento urgente).

Desejo por doces, dificuldade em perder peso, problemas de infertilidade - pensar em deficiência de insulina.

Como podemos corrigir estas deficiências?

Na maior parte das situações podemos usar hormonas bioidênticas, que são extraídas de raízes dos inhames selvagens mexicanos, e são iguais às humanas.

Podem ser usadas em qualquer idade, de forma individualizada, mas é na menopausa que têm maior impacto.

Estimular naturalmente a produção de hormonas,como por exemplo:

  • Exercício físico, promove a produção de testosterona, e 8 a 10 horas de sono aumenta a produção de HGH;
  • Alimentação equilibrada, rica em vegetais;
  • Fitoterápicos e suplementos vitamínicos, aminoácidos e minerais : complexo B, coenzima Q10, magnésio, zinco, selénio e não esquecer a Vitamina D;
  • Acupunctura eleva os níveis de energia de forma natural e melhora o sistema endócrino.

O desequilíbrio hormonal pode estar relacionado com stress oxidativo devido a uma alimentação tipo "fastfood", toxinas ambientais e doenças degenerativas.

É causado pela produção excessiva de radicais livres de oxigénio, contribuindo para o envelhecimento. Pode ser testado com equipamento apropriado e corrigido com antioxidantes apropriados.