Para um grelhado saudável, tenha estes pontos em consideração

Alimentação Se você quer comer um grelhado mais saudável precisa conhecer essas dicas, elas ensinam a grelhar de forma mais saudável.
Você vai ler:

Alimentação saudável confunde-se muitas vezes com a expressão "cozidos e grelhados”, como se todos os cozidos e grelhados fossem saudáveis e como se alimentação saudável se limitasse ao tipo de confecção dos alimentos.

Grelhar pode de facto ser saudável, mas há que saber exactamente o que é um grelhado saudável.

Eis 4 pontos que deve ter em consideração:

Cor

Se o que vai comer, parece mais carbonizado do que grelhado, provavelmente não deve comer.

O tempo que um alimento está a cozinhar e a temperatura usada, condicionam o aparecimento de aminas heterocíclicas e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos que tornam o seu alimento potencialmente carcinogénico.

Não deixar o alimento muito tempo a grelhar, não usar temperaturas muito elevadas e fazer marinadas, são alguns dos cuidados que pode/deve ter.

Se grelhar a carvão, a gordura em contacto com as brasas leva ao aparecimento de hidrocarbonetos, por isso ou impeça que a gordura caia nas brasas: utilize grelhadores laterais (como os do famoso Kebab) ou qualquer grelhador em que a fonte de calor esteja afastada do alimento e a gorduranão entre em contacto com a fonte de calor.

Gordura

Um grelhado é por natureza um método de confecção sem gordura de adição, seja ela qual for. Por isso provavelmente quando come um "grelhado” fora de casa, está a comer um frito.

Não adianta desculpas de que se não puser nada o alimento cola ou até a desculpa de que usa azeite.

Se o alimento cola, deve comprar outro equipamento porque esse não é apropriado e pode até já estar a libertar compostos indesejáveis.

Mesmo usando azeite que é uma gordura saudável, tem de ter consciência de que então está a fritar.

Outras gorduras como qualquer tipo de óleo, margarina ou manteiga, são também absolutamente desnecessárias.

Tipo de alimento

Peixes são mais fáceis de grelhar pois não precisam de tanto tempo de confecção. O mesmo se pode dizer dos legumes. Já para carnes, pode ser necessário mais tempo até que fiquem num ponto comestível.

Assim, prefira grelhar peixe (pense no seu ómega 3 - saiba mais), grelhe legumes para variar nas suas saladas habituais e opte mais vezes por carnes brancas.

Polémicas à parte, é indiscutível que o consumo de carne vermelha deve ser limitado, assim como o de carnes processadas que fornecem aditivos e gorduras desnecessários.

Uma carne com muita gordura não passa a ser saudável por ser grelhada e por isso, tenha atenção aos alimentos que escolhe.

Junte alimentos com potencial antioxidante e anticancerígeno

Fazer marinadas usando vinho tinto/branco, vinagre, sumo de limão, sumo de tomate, ou mesmo sumo de outras frutas ácidas é uma óptima opção.

Junte-lhe legumes frescos como a cebola, alho, cenoura e ervas aromáticas e especiarias para aromatizar: tomilho, alecrim, salsa, louro, coentros, grãos de pimenta.

A marinada ajuda a diminuir a formação de compostos cancerígenos.

Junte ao seu grelhado salada de legumes frescos ou cozinhados. Sempre que possa junte brócolos, couve de bruxelas ou outras couves – as crucíferas possuem sulforafano que é um agente anticancerígeno.

Cozinhe em lume brando seja qual for o método de confecção que escolhe, não carbonize os alimentos e escolha alimentos saudáveis já que o método de confecção pode piorar o valor nutricional de um alimentos mas não o transforma em super saudável.

Coma muitos legumes para acompanhar.