Pablo Picasso: o amor na sua obra

Sustentabilidade Pablo picasso, um dos artistas mais famosos do mundo, faleceu em 1973, saiba mais sobre sua história e suas artes.
Você vai ler:

Pablo Picasso é um dos artistas mais famosos do mundo. Podemos referir-nos a ele como artista e não só pintor, já que não foi só a pintura que o fez desenvolver o seu trabalho, mas também a escultura e a cerâmica.

Nasceu em Espanha e deram-lhe o nome de Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso.

Ficou conhecido como Pablo Picasso e foi cofundador do movimento artístico Cubismo, falecendo em França com 91 anos (1973).

Embora grandes obras de arte possam ser criadas em momentos de depressão e tristeza dos seus criadores, também o amor e a paixão podem inspirar grandes feitos.

Pablo Picasso foi um homem de diversos amores e paixões, conta-se que mudava de companheira tão frequentemente quanto mudava de estilo artístico já que muitas das suas obras são retratos das mulheres e filhos.

Teve 2 esposas e muito mais amantes, algumas simultaneamente, algumas secretas outras do conhecimento público.

São 8 as mulheres reconhecidas hoje como os grandes amores de Picasso e todas foram suas musas inspiradoras!

Fernande Olivier

Esta foi a primeira relação duradoura de Picasso e a musa inspiradora do "Período Rosa” e do início do Cubismo.

Apesar de ser casada, iniciou uma relação com Picasso que durou 7 anos. Separam-se em 1912 quando ele já estava interessado noutra mulher.

Fernande escreveu o livro "Loving Picasso” que só foi publicado em 1988, pois havia um pacto entre os dois que impedia a publicação enquanto ambos fossem vivos.

Morreu em 1966 e foi a única amante conhecida de Picasso antes de ele atingir a fama.

Eva Gouel

Foi uma paixão de Picasso no período cubista, que o devastou pelo facto de ter adoecido e morrido jovem. Eva faleceu (1915) não se sabe bem se de tuberculose ou cancro.

O quadro "I love Eva” foi uma das provas de amor que Picasso lhe dedicou e a pintura "L'Enfer” (o inferno) refletia o sofrimento que sentiu e que viveu.

Olga Khokhlova

Foi a primeira esposa de Picasso e de quem teve um filho. Olga era bailarina. Viveram um casamento feliz num período curto até aparecerem muitos conflitos, principalmente por pertencerem a classes sociais distintas.

Neste período, Picasso pintou diversos quadros com mães e filhos representados.

Tendo conhecimento da amante Marie-Therese que estava grávida, Olga foi viver para longe de Picasso mas não se divorciaram por questões monetárias. Em 1955 morreu de cancro.

Marie-Therese Walter

Tinha apenas 17 anos quando se tornou amante de Picasso (com 45 anos) e a relação foi descoberta pela esposa Olga, apenas quando Marie-Therese engravidou.

Um ano depois da filha de ambos nascer, Pablo encontrou nova amante e a relação deteorou-se. Marie-Therese foi a inspiração para as famosas 100 gravuras de Picasso intituladas "Vollard Suite”.

Suicidou-se 3 anos após a morte do seu amado. O neto de ambos escreveu um livro intitulado: "Picasso: The Real Family Story”.

Dora Maar

Dora foi fotógrafa, poeta e pintora. Foi ela que documentou uma das muito famosas pinturas da obra de Picasso, "Guernica”. Foi a responsável pela separação de Picasso e Marie-Therese.

A sua relação durou cerca de 8 anos. No seguimento de "Guernica” e do início da sua relação com Dora Maar, Picasso pintou uma série de quadros como o "The weeping woman” (a mulher chorosa) que retratam imagens tristes.

Dora nunca ultrapassou a separação de Picasso e passou em termos emocionais momentos difíceis até à sua morte com 89 anos (1995).

Françoise Gilot

As duas amantes de Picasso que o deixaram de livre vontade são ainda vivas. Uma delas é Françoise Gilot, uma das poucas mulheres que não teve, depois de Picasso, uma vida triste e pesarosa.

Com 62 anos e ainda numa relação com Dora Maar, Picasso iniciou a relação (de 10 anos) com Françoise que era apenas uma jovem estudante. Françoise é também uma artista (pintora, escritora) e muitos são os que acham que a sua carreira não progrediu mais por causa do seu amor por Picasso.

Tiveram 2 filhos. Como mulher inteligente que é e sabendo o que se passara com as outras mulheres, Françoise terminou o relacionamento apesar de ainda hoje dizer que Picasso foi a maior paixão da sua vida!

Onze anos depois da sua separação, editou um livro intitulado "Life with Picasso".

Genevieve Laporte

Entrevistou Picasso para o jornal da escola com 17 anos, mas foi só aos 24 que iniciou o romance com o artista enquanto ele ainda vivia com Françoise.

O seu amor foi secreto e Genevieve acabou por deixar Picasso na mesma altura que Françoise. Neste período, Picasso teve o que se denominou um "tender period” (período de ternura), já que Genevieve foi a única mulher retratada a sorrir.

Em 2005, com 79 anos, leiloou 20 obras de Picasso (muitas sobre si mesma) e com o dinheiro que conseguiu, criou uma fundação para a defesa da natureza e dos animais. Ainda é viva.

Jaqueline Roque

Em 1953, rejeitado por 2 mulheres, Picasso conhece Jacqueline. Anos depois, quando Picasso tinha 79 anos, Jaqueline torna-se a sua segunda esposa.

Ela foi a musa que inspirou mais obras - mais de 70 pinturas. Estiveram juntos 20 anos até que Picasso faleceu em 1973. Em 1986 Jaqueline suicidou-se.  

É impressionante como os amores e paixões levaram Picasso através do seu sucesso e permitiram que criasse uma diversidade imensa de obras de arte!

Recomendamos-lhe por isso que se deixe guiar pela criatividade sempre que estiver em braços com um amor ou uma paixão, seja qual for o motivo – bons resultados vão surgir com certeza nas tarefas em que se envolver!

"Amor é o melhor tónico da vida” Pablo Picasso