O perigo dos emagrecimentos rápidos

Bem Estar Para perder peso de forma saudável é necessário que tenha uma dieta equilibrada, e saiba que emagrecer é diferente de perder peso.
Você vai ler:

Para um número considerável de pessoas com excesso de peso ou obesidade o objetivo está traçado: perder os quilos em excesso o mais rapidamente possível.

Para isso, alguns fazem dietas desequilibradas, e tomam comprimidos ou fórmulas farmacêuticas que prometem milagres.

Já outros usam os avanços da medicina e colocam balões dentro do seu estômago para que não caiba tanta comida.

Ou, mediante um processo cirúrgico colocam um anel em redor do estômago para que se sintam saciados com uma refeição com o volume de um copo de iogurte.

Outros ainda, preferem opções cirúrgicas mais elaboradas e fazem uma passagem direta entre a parte inicial do seu estômago e o seu intestino.

Fazendo com que consumam quantidades de comida bem mais pequenas (por vezes apenas 50 – 100 ml por refeição).

E impedindo que esta comida seja corretamente digerida – o famoso bypass gástrico tão em voga actualmente.

Por outro lado, inúmeros profissionais de saúde em todo o mundo falam da importância de uma perda de peso mais lenta.

Será que estes profissionais de saúde não querem que os seus pacientes atinjam os seus objetivos?

Ou será que há realmente alguma coisa de errado na perda de peso rápida?

Vamos refletir consigo sobre este tema.

Tecido adiposo: o local de armazenamento de diferentes tóxicos

Diariamente e ao longo da nossa vida vamos absorvendo diferentes compostos tóxicos.

Muitos desses compostos são solúveis em gordura, e por isso são tão bem absorvidos pela nossa pele e pelas nossas mucosas e células, todas revestidas por uma membrana constituída por ácidos gordos.

É enorme a afinidade entre o tecido adiposo e alguns compostos como dioxinas, alguns pesticidas, diferentes químicos ambientais.

O tecido adiposo é por isso, o local de eleição para a deposição destes compostos tóxicos.

Esta é uma forma que o nosso organismo encontrou para os tirar de circulação, impedindo-os de atingir outros órgãos ricos em gordura, como o cérebro.

A deposição destes poluentes no tecido gordo oferece, a curto prazo, alguma proteção, mas acaba por funcionar como uma fonte contínua de exposição.

Mexer nos depósitos de gordura, significa mexer no local onde todas estas toxinas estão acumuladas.

Estudos feitos em indivíduos durante um emagrecimento por dieta e exercício.

Ou em indíviduos submetidos a cirurgia de bypass gástrico, revelam um aumento da quantidade de alguns destes tóxicos para a circulação sanguínea.

Como pode ler aqui, aqui, aqui ou aqui.

Isto significa que: ou é capaz de rapidamente as eliminar através dos seus sistemas de desintoxicação.

Ou algo pode não correr tão bem, especialmente se as suas enzimas de desintoxicação não forem tão eficazes como precisa.

Assim sendo, é importante perder peso, mas de forma gradual, suportando a sua capacidade de desintoxicação.

E evitando novas fontes de poluentes, nomeadamente no cosmética que usa, ar que respira, ou através de muitos objetos, muitos deles, de uso diário.

Emagrecer é diferente de perder peso

Perder ou ganhar 1 a 2 kg na balança não significa que tenha perdido ou aumentado 1 ou 2 kg de massa gorda.

Após um exercício físico intenso, uma sauna, ou a toma de diuréticos sem a hidratação conveniente, pode ocorrer a perda de 1 a 2 kg...não de gordura, mas de água. 

Da mesma forma, diferentes técnicas de desintoxicação que visam a limpeza intestinal ou a remoção de compostos tóxicos acumulados.

Nomeadamente na matriz extracelular, levam apenas a uma perda de água, eliminação do conteúdo intestinal e a uma optimização do funcionamento celular – e não a uma perda de massa gorda. 

Aumentar consideravelmente o exercício físico condiciona um aumento da massa muscular, o que aumenta o peso.

E todos os que praticam exercício físico podem inclusive ter peso a mais para a sua altura, mas muitos não chegam sequer a ter a quantidade de gordura mínima.

Emagrecer e engordar significa perder ou ganhar massa gorda, e não perder ou aumentar 2 - 3 kg de água, ou massa muscular.

Degradar o gordura acumulada é um processo que leva o seu tempo, pois existe uma capacidade máxima do nosso organismo em fazê-lo, pois precisamos de diferentes enzimas e nutrientes para o fazer.

Por isso é que os diferentes profissionais de saúde alertam para a necessidade do emagrecimento ser mais lento.

Porque só assim garante que realmente perde massa gorda, e não músculo ou apenas água.

Além disso, um emagrecimento mais lento facilita a desintoxicação de todos os compostos tóxicos que durante todos estes anos foi acumulando.