O glúten e os animais domésticos

Alimentação Nossos animais de estimação passam por várias mudanças ambientais o tempo todo, como a mudança de habitat ou de alimentação.
Você vai ler:

Ao longo dos tempos, as espécies domésticas têm sido sujeitas a mudanças das condições ambientais. Estas ocorreram a vários níveis, desde o habitat à alimentação.

O cão e o gato, dois predadores carnívoros, originalmente com uma dieta constituída pelas suas presas.

Atualmente comem alimentos preparados a partir de vísceras e carcaças de animais excluídas da alimentação humana, misturadas com outros ingredientes, transformados em alimento húmido (patê) ou seco (granulado), e acondicionados em latas ou em sacos.

Os herbívoros (bovinos, caprinos, ovinos, equinos e asininos) cuja alimentação era a ingestão de pasto espontâneo, começaram a consumir forragens semeadas pela mão do homem, a maior parte das vezes submetidas a processos de conservação, quer por secagem (fenos e palhas), quer por fermentação (silagens).

Assim e por ação do homem, a alimentação original à qual as espécies estavam naturalmente adaptadas sofreu alterações, mais ou menos profundas dependendo da espécie e do regime de maneio.

E quanto ao glúten. Será que a alimentação dos nossos animais contém glúten?

Sim, os alimentos dos animais incluem frequentemente cereais que contêm glúten, sendo o mais frequente o trigo.

Como poderemos identificar a presença do glúten nos alimentos dos animais?

Esta informação é facilmente obtida consultando os rótulos dos alimentos. Nos ingredientes devemos procurar pelo trigo, cevada, triticale, centeio e aveia. O espelta e o kamut também contêm glúten, mas a sua utilização em alimentação animal é vestigial.

Terão as espécies domésticas antes da domesticação ingerido glúten?

Sim, muito provavelmente os herbívoros, pois a cevada, o centeio e a aveia são plantas que crescem espontaneamente nas pastagens.

Nos meses de verão, estas plantas têm os seus grãos formados e os animais que pastam comem-nos juntamente com a planta.

Por isso sim, os herbívoros muito provavelmente terão comido glúten antes da domesticação e de uma forma sazonal.

Poderá o glúten estar relacionado com alguma doença nos animais?

Sim, existe evidência científica de patologias relacionadas com o glúten nos animais. Estas doenças foram identificadas no cão e no cavalo.

No cão, o glúten do trigo pode ser utilizado como uma fonte proteica, no entanto em alguns distúrbios do aparelho digestivo é recomendada uma alimentação sem glúten, em conjunto com outras recomendações de dieta.

No cavalo, os cereais que contêm glúten são ingredientes comuns das suas dietas, em particular dos alimentos compostos (ração), podendo ser causa de perturbações digestivas e cutâneas.

O glúten na saúde animal não assume a importância e o impacto que tem na saúde humana.

No entanto, os nossos animais ingerem-no frequentemente, o que poderá ser prejudicial, uma vez que em algumas espécies domésticas está relacionado com determinadas patologias, em particular do foro digestivo.