Noites de férias e adolescentes

Bem Estar Férias dos adolescentes veja algumas dicas de como auxiliar seus filhos durante o recesso escolar e entenda a importância do diálogo.
Você vai ler:

Todos nós precisamos de férias e os nossos filhos não são exceção, principalmente os adolescentes. Eles precisam de descansar da sua rotina da escola, das suas atividades, da rotina familiar, etc.

Neste sentido é preciso que eles tenham tempo de qualidade e que realizem atividades diferentes do resto do seu dia-a-dia centrado no estudo ou no trabalho.

As férias de verão costumam ser os marcos temporais em que os jovens saem mais e querem chegar mais tarde a casa, pois não sendo época de escola e de trabalho, sentem que têm menos responsabilidades.

Muitos pais não dormem enquanto os filhos não chegam a casa, outros são verdadeiros motoristas, levando-os e trazendo-os a casa.

Os pais devem preocupar-se, mas isso não significa não deixarem os filhos sair à noite.

Devem controlar pouco a pouco a evolução das saídas e educá-los no sentido da responsabilização dos horários, gestão monetária e honestidade.

Estes são momentos para crescerem juntos, em que há que delegar liberdade e responsabilidade, essencial para um bom desenvolvimento da autonomia!

O que se deve fazer?

  1. Deve ter-se em conta a opinião dos filhos, ouvir os seus motivos, as suas razões. Será essencial a relação de confiança e de comunicação entre ambos;
  2. Filhos e pais devem chegar a um acordo quanto aos horários, e as consequências quando estes não são cumpridos;
  3. As saídas não podem implicar uma alteração na convivência familiar, ou seja, no dia seguinte faltar a um evento familiar importante porque ficou a dormir, cansado da noite anterior;
  4. Têm de os ouvir, aprender quem são os seus amigos, a que sítios vão, qual é a forma que têm para voltar a casa, se voltam sozinhos ou acompanhados;
  5. Os horários podem-se alongar com a idade e com a responsabilidade demonstrada;
  6. É conveniente falar com os pais dos amigos dos nossos filhos para trocar de opinião e experiências;
  7. Uma vez adquirido o compromisso, o adolescente tem de saber que se não respeita o horário sem causa justificada, a próxima saída pode ser anulada ou reduzida por não cumprir o acordo.

Educar implica assumir riscos, dar autonomia e co-responsabilizar-se, ensinar os nossos filhos a visualizar as consequências dos seus atos e ao mesmo tempo a serem felizes.