Mucosa intestinal: os inimigos que podem fazer o perigo espreitar

Bem Estar Mucosa intestinal: conheça alguns inimigos que podem afetar nosso sistema intestinal e entenda seus efeitos no corpo.
Você vai ler:

O processo de digestão visa transformar os alimentos que ingerimos em substâncias que possam ser absorvidas e que venham a integrar o nosso próprio organismo e os seus complexos mecanismos biológicos.

Estas substâncias denominam-se nutrientes.

A absorção dos nutrientes é feita por seleção ativa da mucosa

A absorção dos nutrientes faz-se através da mucosa intestinal ao longo do intestino delgado e do cólon por um mecanismo complexo e delicado e segundo um critério muito rigoroso.

De fato, as células da mucosa intestinal vão escolhendo, de entre todas as substâncias presentes no interior do intestino, aquelas que são adequadas e necessárias e, portanto, reúnem as condições para serem absorvidas.

Estas são então "puxadas” para dentro da célula da mucosa intestinal que depois as entrega à corrente sanguínea num processo conhecido por pinocitose.

Uma noção da maior importância deve ser retida: a absorção intestinal de nutrientes é feita segundo um processo de seleção ativa da mucosa intestinal.

A integridade da mucosa é necessária!

A absorção seletiva de nutrientes só é possível se a mucosa intestinal estiver saudável e íntegra.

As células da mucosa intestinal saudável estão ligadas umas às outras e formam como que uma barreira através da qual não é possível passar sem autorização.

Quando um nutriente é selecionado para entrar então é a própria célula que o puxa e deixa entrar para dentro de si mesma.

Por entre as células da mucosa intestinal nada pode passar.

Mas se a mucosa intestinal deixa de estar saudável, fica inflamada, e entre as suas células começa a haver fissuras ou espaçamentos, muitas substâncias podem então entrar no nosso organismo sem terem sido selecionadas e autorizadas.

Quando a mucosa intestinal perdeu a capacidade de absorção seletiva de nutrientes diz-se que estamos perante uma hiperpermeabilidade intestinal.

Os perigos da hiperpermeabilidade intestinal

As substâncias que entram no nosso sistema sem terem sido selecionadas podem ser a causa de múltiplos problemas de saúde.

Muitas destas substâncias podem vir a ser identificadas pelo nosso sistema imunitário como estranhas ao nosso organismo e por isso virem a desencadear respostas inflamatórias complexas que podem estar na origem de doenças autoimunes ou outras doenças inflamatórias crónicas.

Outras substâncias erradamente absorvidas podem vir a ser ativas em vários mecanismos bioquímicos e alterarem o funcionamento orgânico.

Este é o caso da ação cerebral das gluteomorfinas e das casomorfinas.

Uma mucosa intestinal hiper permeável é uma porta aberta a muitos tóxicos cuja absorção tem consequências para a saúde ainda longe de serem completamente conhecidas.

Quais são as causas de hiperpermeabilidade intestinal?

Há três grupos de fatores envolvidos na génese da hiperpermeabilidade intestinal

Alimentos

A ingestão frequente de alimentos a que se é alérgico, intolerante ou a que se tem sensibilidade.

Reatividade pessoal a aditivos agro-industriais, corantes e conservantes alimentares.

Flora intestinal

Os microrganismos que constituem a flora intestinal, saudável e equilibrada, produzem substâncias indispensáveis para a manutenção da vitalidade das células da mucosa intestinal e para a integridade desta.

Uma flora intestinal sem a quantidade suficiente das bactérias acidófilas ou com o desenvolvimento oportunista de outros germens, o fungo candidato, por exemplo, pode ser uma causa muito importante e pouco pensada, de hiperpermeabilidade intestinal.

Fármacos e fitoquímicos naturais

Muitos são os medicamentos que podem provocar, direta ou indiretamente, inflamação e alteração da absorção da mucosa intestinal, mas merecem relevo os anti-inflamatórios, os inibidores da produção de ácido do estômago da família do omeprazol, os antibióticos, a quimioterapia e radioterapia.

De entre as substâncias naturais usadas pelos seus efeitos terapêuticos fitoquímicos, chamamos especial atenção para os laxantes, sobretudo os que contenham sene.

Mas muitos extratos vegetais podem ser causa de inflamação intestinal por alergia ou sensibilidade pessoal ou pelo seu uso por tempo excessivo.

A mucosa intestinal representa a nossa maior superfície de contato, de interação e de proteção face ao mundo exterior a nós.

Oferecer-lhe as condições para se manter íntegra e funcional é um imperativo de saúde.