Menopausa - Conseguir a harmonia entre hormonas e neurotransmissores

Bem Estar Entenda como a menopausa pode afetar os níveis de hormônios e os neurotransmissores e conheça maneiras de como amenizar seus efeitos no corpo.
Você vai ler:

Menopausa significa, fim da menstruação e da fertilidade. Com o aumento da longevidade uma mulher pode esperar viver 20 ou 30 anos na pós menopausa.

Não é doença, é uma fase da vida, excepto a menopausa precoce que surge devido a doença ou algum tratamento.

Para muitas mulheres, é uma fase muito criativa, depois da vida profissional e familiar menos exigente, têm finalmente oportunidade para realizar projetos pessoais adiados, ou caso contrário, assumem compromissos inevitáveis, de cuidadoras de pais, netos e cônjuges.

Para ambos os casos é preciso manter uma boa forma física e intelectual para a qual é preciso equilibrar hormônios e neurotransmissores.

Na pré-menopausa, entre os 45 e os 55 anos, é importante a prevenção da obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares (DCV),envelhecimento rápido, cancro e doenças neurodegenerativas.

A menopausa caracteriza-se por desequilíbrios hormonais, mais ou menos graves, que se manifestam por sintomas vasomotores (calores), suores nocturnos, rugas, falta de energia, secura vaginal, problemas urinários, depressão, intranquilidade, perda de memória, dificuldade em dormir, que podem ser difíceis de suportar.

As hormonas e neurotransmissores

A redução drástica dos estrogénios (a essência da mulher) reflete-se na dopamina e na serotonina responsáveis pela boa memória e humor respectivamente.

A progesterona que harmoniza a atividade estrogênica, tem efeito calmante, a sua redução causa envelhecimento prematuro e insónia.

Está relacionada com o neurotransmissor GABA (ácido gama amino butírico) que tem um efeito tranquilizante.

Esta importante hormona está implicada na fase pré-menopausa caracterizada por flutuações hormonais mais ou menos severas, responsáveis pelos distúrbios menstruais, que antecedem a menopausa (irregularidades e hemorragias).

A testosterona produzida em pequenas quantidades pelos ovários, declina com a idade e é responsável pela diminuição da libido, perda da massa muscular, excesso de peso e osteoporose, e também está relacionada com a serotonina (depressão) e dopamina.

A DHEA (dehidroepiandrosterona) produzida pela cápsula supra-renal é considerada a hormona da juventude é agonista da serotonina, norepinefrina e dopamina e sua redução implica envelhecimento prematuro, manifestado por cabelo branco, queda de cabelo, e intolerância ao stress.

A melatonina importante neurotransmissor relacionada com o sono e sua produção é condicionada pelos estrogénios, androgénios e HGH (hormona de crescimento).

A hormona tiroideia é muito importante nesta fase da vida pois é frequente o hipotiroidismo subclínico ao qual devemos estar atentos.

A fadiga matinal e a lentificação do pensamento podem ser sintomas. Esta hormona é agonista da serotonina.

Menopausa – navegar serenamente um mar alteroso!

A nossa proposta para se sentir bem é ultrapassar esta fase sem traumas, de modo a reencontrar o equilíbrio do sistema endócrino, a atividade intelectual, humor e criatividade e se possível desacelerar o envelhecimento.

Atividade física - Um bom programa de exercício físico, alguns cuidados na alimentação, adicionar Ômega 3 que ajuda a memória e é neuroprotetor, podem fazer milagres e ajudar a diminuir alguns sintomas desagradáveis.

Produtos botânicos: Cimicifuga racemosa (black cohosh), Angelica sinensis (dong quai), red clover (trevo vermelho), ginseng e a soja (fitoestrogênios), podem ser usados, mas com algumas precauções.

A Acupunctura é um tratamento muito eficaz na menopausa.

Na Medicina Tradicional Chinesa a menopausa é uma desarmonia entre Yin e o Yang, a maior parte das vezes, uma insuficiência de Yin que ocasiona um fogo de vazio.

Este tratamento usado isoladamente ou associado a outros, praticamente não tem efeitos secundários e tem benefícios adicionais como o aumento de energia, melhora o sistema imune e aumenta a produção de neurotransmissores.

A Auriculoterapia é uma técnica de diagnóstico e terapêutica coadjuvante, que permite uma actuação mais duradoura, dado que o doente pode contribuir para a terapêutica através do uso de agulhas semipermanentes locais, que estimulará periodicamente, o que permite o espaçamento dos tratamentos.

Hormonas Bioidênticas – podem ser uma grande ajuda para algumas mulheres nesta fase de transição. Para saber o que são e como atuam.