Mau humor? Talvez deva medir os seus neurotransmissores!

Bem Estar Conheça a relação entre o mau humor e os neurotransmissores, entenda como o desequilíbrio pode mudar seu temperamento.
Você vai ler:

A palavra "neurotransmissor” é na verdade bastante concordante com a sua definição: neurônio + transmissor.

Neurotransmissores são mensageiros químicos que passam mensagens entre neurônios, permitindo que haja comunicação dentro do cérebro e deste para o resto do corpo.

Por exemplo, o estômago digere, o coração palpita, nos pulmões a respiração porque o cérebro assim o comanda através dos neurotransmissores.

Se os neurotransmissores estiverem desequilibrados, muitas são as funções do organismo que vão sofrer consequências, sendo uma delas o humor.

Muitos são também os fatores que podem afetar os neurotransmissores: stress, má alimentação, estilo de vida não saudável, predisposição genética, certos medicamentos.

Os neurotransmissores podem ter uma ação mais excitante ou mais calmante, sendo que alguns podem ter as duas tendências

Familiarize-se com alguns dos seus nomes: adrenalina, noradrenalina, serotonina, GABA, dopamina, acetilcolina, histamina.

Desequilíbrios nos neurotransmissores e suas consequências relacionados com o humor, motivação e calma:

  • Dopamina: falta de motivação, dificuldade de concentração;
  • Noradrenalina: falta de foco, energia e motivação;
  • Adrenalina: falta de foco, energia e motivação;
  • Serotonina provoca: depressão, mau humor, ansiedade, má qualidade de sono ou insônia;
  • GABA: Ansiedade, excitação excessiva, má qualidade de sono ou insônia;
  • Noradrenalina: stress e ansiedade;
  • Adrenalina: insónia, ansiedade, stress;
  • Glutamato: Ansiedade, stress e mau humor.

Portanto, o desequilíbrio leva a situações que nada potenciam dias bem dispostos e felizes. Assim, há que descobrir quando existem estes desequilíbrios.

Medição de Neurotransmissores

Normalmente, a medição de neurotransmissores não é feita no sangue.

As análises de saliva e urina para medição de neurotransmissores não são ainda consensuais na comunidade médica, sendo as mais consensuais as análises aos metabólitos da urina.

Investigações mostram que são métodos não invasivos que conseguem ser muito estáveis, e com elevada sensibilidade.

Certos metabólitos do metabolismo dos neurotransmissores vão dar-nos indicações da sua quantidade no organismo, por exemplo:

  • Ácido Homovanílico indica a quantidade de Dopamina;
  • Metoxi-OH-Fenilglicol indica a quantidade de Noradrenalina;
  • Ácido 5-OH-indolacético indica a quantidade de Serotonina.

Certifique-se de que tem um profissional de saúde que perceba do assunto a aconselhá-lo.

Consoante os seus resultados, poderá ser necessário recomendar diferentes tipos de alterações alimentares, de estilo de vida ou suplementação.

Por exemplo, para serotonina baixa poderia recomendar-se 5-HTP e a prática de mindfulness.

No caso de dopamina baixa poderia recomendar-se suplementação com L-tirosina e o mindfulness seria igualmente benéfico.

Quando outras soluções parecem não resultar, talvez a questão esteja mesmo nos seus neurotransmissores e tem de os ajudar a voltar a equilibrar para se voltar a sentir bem.