Luz Terapêutica - o que é, quando e como usar?

Bem Estar Luz Terapêutica: dúvidas sobre lâmpadas de espectro solar que permitem reencontrar o equilíbrio quando falta a luz do sol.
Você vai ler:

Sabia que o ritmo natural de adormecer e acordar é, de forma natural, determinado pela alternância entre a ausência e a presença da luz solar?

As lâmpadas de luz de espectro solar total permitem reencontrar o equilíbrio quando falta a luz solar.

A luz solar condiciona a formação de melatonina e regula a libertação de cortisol, hormônio que orienta as funções do organismo no sentido do adormecer ou do acordar.

Do equilíbrio e ritmo da produção da melatonina e do cortisol depende tanto a qualidade do sono durante a noite como a vitalidade física e mental durante o dia.

A deficiente iluminação por luz solar natural pode comprometer seriamente este equilíbrio. Propomo-nos a ajudá-lo a compreender melhor estes mecanismos e apresentamos algumas soluções que façam diferença no seu dia-a-dia.

A melatonina é a hormona que regula o adormecer e o acordar e cuja libertação depende da quantidade de luminosidade solar.

Durante o dia, perante a presença de luz solar, o nível de melatonina é baixo indicando ao organismo que se deve manter ativo física e mentalmente.

Mas assim que o sol desaparece no horizonte e a luminosidade começa a diminuir, a libertação de melatonina aumenta progressivamente.

A subida do nível de melatonina orienta o organismo a preparar-se para dormir e condiciona a alteração dos ritmos físicos e mentais para induzir o sono.

É na escuridão solar absoluta que a produção de melatonina é mais estimulada propiciando um sono mais profundo.

O ritmo circadiano da melatonina desenvolve-se, assim, numa alternância de baixos níveis durante o dia e elevados níveis durante a noite.

Estamos programados neste sentido há milhares de anos: o organismo humano a esta regular alternância, de forma natural, adormecendo ao início da noite acordando quando o sol se levanta no horizonte.

Quando falta a luz solar – inicia-se um ciclo vicioso de sonolência diurna e insônia noturna

Quando o organismo humano vive uma situação em que a luz solar natural se torna escassa ou quase nula por períodos de tempo prolongados de semanas ou meses, a capacidade de manutenção do ritmo circadiano da melatonina é perturbada e tem reflexos na sensação de vitalidade durante o dia e na capacidade de adormecer durante a noite.

A pouca quantidade de luminosidade solar durante o dia impede que a melatonina baixe para os níveis mínimos adequados para o período diurno.

Mantendo-se em níveis incorrectamente elevados mantém o organismo no "modo dormir”.  Daí que uma pessoa sinta sonolência durante todo o dia, como se nunca estivesse bem acordada.

A escassa luminosidade solar impede, simultaneamente, o estímulo à libertação matinal do cortisol, agravando ainda mais a sensação de fadiga que pode prolongar-se por todo o dia.

Depois de um dia durante o qual a pouca luminosidade solar nunca permitiu que a melatonina baixasse correctamente, o anoitecer não consegue, por seu lado, dar origem a um estímulo de subida da melatonina habitual para o período noturno.

Nestas condições a melatonina não é produzida em quantidade suficiente para desencadear o processo fisiológico do adormecer.

Quase paradoxalmente, depois de um dia perturbado por sonolência e com sensação de fadiga, segue-se uma noite de insónia.

Os habitantes dos países mais afastados do equador, nos invernos de dias curtos e sombrios e quem trabalha em locais com iluminação exclusivamente artificial vivem, em círculo vicioso, nesta sequência de dias de sonolência e fadiga com noites de insónia e pouco recuperadoras.

Luz de espectro solar total – a saída desse ciclo vicioso rumo ao equilíbrio

Substitutos da luz solar natural são as lâmpadas de espectro solar total. Estas palavras "de espectro solar total” revestem-se da maior importância.

De fato, para que uma luz consiga estimular e regular a produção de melatonina pela glândula pineal (epífise), é absolutamente necessário que a radiação luminosa seja composta pelo conjunto completo de todos os comprimentos de onda que compõem a luz solar.

Caso contrário não é eficaz.

As lâmpadas de iluminação habituais não emitem esse espectro solar total.O uso de luz terapêutica com lâmpadas de espectro solar total deve tentar imitar o ritmo solar natural com vista ao reequilíbrio do ritmo da melatonina

De manhã ao acordar, entre as 7h e às 9 horas deve expor a face, especialmente a zona entre as sobrancelhas, à luz terapêutica.

Esta exposição pretende enviar uma mensagem à sua glândula pineal para fazer baixar a produção de melatonina, estimulando assim o seu processo físico e mental do despertar.

No seu local de trabalho, pode continuar a usar um candeeiro com lâmpada de espectro solar total durante a manhã.

Mas depois das 14 horas não deve continuar a expor-se à lâmpada de luz terapêutica.

Assim, durante a tarde o seu corpo vai recebendo a informação da ausência de luz solar e ao fim do dia é capaz de desencadear o estímulo da subida do nível da melatonina e o dar início ao processo do adormecer.

Despertador de luz solar total – o alvorecer do sol dentro do seu quarto

A primeira luminosidade do sol a clarear no horizonte, cerca de duas horas antes do nascer do sol, é percebida pela glândula pineal que vai começando a baixar lentamente a libertação de melatonina.

A esta baixa gradual de melatonina o organismo responde com a preparação fisiológica, igualmente lenta e suave, do acordar.

Quem não gosta de acordar sobressaltado de forma repentina por um despertador sonoro e prefere um despertar lento e suave pode optar por um despertador de luz solar que imita o processo natural do acordar.

Este tipo de despertador começa a emitir luz de espectro solar total de forma gradualmente mais intensa durante as duas horas que antecedem a hora para que está programado o despertar, proporcionando um processo de acordar natural, tranquilo e com mais energia.