Ginkgo Biloba: uma ajuda para manter vitalidade mental

Bem Estar Conheça o ginkgo biloba: frutos com propriedades que auxiliam em doenças como demência e Alzheimer.
Você vai ler:

O que é?

Ginkgo Biloba é uma árvore que pode viver até mil anos e já há muito que os seus efeitos são conhecidos pois desde 2600 AC que se encontram descrições de benefícios na asma e bronquite.

Os seus frutos produzem um aroma muito forte e possuem no interior uma semente que não deve ser consumida pois há relatos de intoxicação.

Os efeitos medicinais que estão amplamente descritos provêm de extratos das folhas. Na medicina tradicional chinesa o Ginkgo Biloba é amplamente usado e a investigação científica já é tanta que o seu uso se dispersou pelo mundo.

Para que serve?

Muitos são os estudos que mostram os efeitos benéficos do Ginkgo Biloba. Os principais efeitos descritos são a nível da circulação sanguínea (em todo o corpo) e memória.

Há mais de 40 compostos descritos mas, os efeitos devem-se essencialmente aos flavonóides e terpenóides presentes nas folhas.

Os flavonóides enquanto antioxidantes protegem  as células nervosas, músculo cardíaco, vasos sanguíneos e células da retina; os terpenóides melhoram a circulação sanguínea através da dilatação dos vasos sanguíneos e da redução da viscosidade do sangue.

Demência e Doença de Alzheimer

A utilização inicial do Ginkgo Biloba em casos de demência e doença de Alzheimer era devido ao efeito de facilitação da circulação sanguínea no cérebro, mas sabe-se hoje que, além disso, há um efeito de proteção das células.

A memória, capacidade de raciocínio e autonomia melhora nos pacientes com doença de alzheimer ou demência e sob suplementação. A sensação de depressão é menos frequente.

Os efeitos são sentidos em casos já instalados de demência e doença de Alzheimer mas também a nível preventivo.

Memória

Não há ainda consenso sobre a hipótese de a Ginkgo biloba ajudar na melhoria da memória em idosos saudáveis já que a maioria dos benefícios são em casos de demência ou doença de Alzheimer.

De qualquer forma, muitos estudos mostram benefícios em indivíduos saudáveis.

Alguns alimentos e bebidas têm ginkgo biloba adicionado e referem fazer bem à memória, mas as doses usadas na indústria alimentar são com certeza baixas demais para haver efeito.

Insuficiência de circulação arterial nos membros inferiores

Pelo efeito a nível da dilatação dos vasos sanguíneos e diminuição da viscosidade do sangue, a Ginkgo Biloba é útil para melhorar a circulação dos membros inferiores.

Indivíduos com este problema apresentam muitas dores pelo simples facto de andarem alguns metros e a suplementação mostra-se muito útil. Nas frieiras é uma ajuda preciosa.

Glaucoma e degeneração macular

Há estudos que demonstram efeitos benéficos na visão em casos de glaucoma e melhoria ou prevenção de lesões em casos de degeneração macular dependente da idade.

Dosagens/Interações:

Suplementos de Ginkgo Biloba estão disponíveis em pó, cápsulas, extratos líquidos e folhas para fazer chá.

Não estão descritas utilizações em crianças. Nos adultos:

  • Para melhoria cognitiva: 120 mg diários divididos em dosagens ao longo do dia. Cada toma deve ter entre 24 a 32% de flavonóides e 6-12% de compostos terpenóides. Em indivíduos saudáveis a dose pode ir até 600 mg diários;
  • Demência/Alzheimer: a dosagem pode atingir os 240 mg por dia divididos em 2 ou 3 tomas diárias.

Os efeitos secundários são praticamente nulos, mas pode ocorrer algum desconforto gástrico, intestinal ou dores de cabeça.

Se vai fazer algum tipo de cirurgia deve parar a toma de Ginkgo biloba pelo menos 36 horas antes para não aumentar o risco de hemorragias.

Grávidas, lactantes e pessoas com epilepsia não devem tomar ginkgo biloba.

Pode interferir com muitos medicamentos (potenciar efeito).

Por isso, tenha atenção antes de começar a tomar se está sob o efeito de: anticonvulsivos, antidepressivos, anticoagulantes, anti-inflamatórios, anti-diabéticos orais, diuréticos ou medicação para diminuir a tensão arterial.

A Ginkgo Biloba pode ser uma ajuda preciosa para melhorar a memória e circulação sanguínea. Lembre-se que deve usar extratos das folhas e não da semente por ser tóxica.