Flôr de sal, um tesouro das salinas

Alimentação Existe diversos tipos de sal, veja quais são as diferenças entre eles neste post e saiba qual será o melhor para o seu consumo.
Você vai ler:

A flôr de sal é um produto "gourmet”adorado por muitos Chefes.

O preço é mais elevado do que o chamado "sal grosso" ou do que o "sal de mesa".

Vejamos se vale a pena.

O que é a flôr de sal?

A flôr de sal é constituída pelos cristais de sal que se formam à superfície da água, durante a produção de sal marinho nas salinas.

Portanto, antes que este sal se deposite e permita depois a produção de sal marinho, estes cristais leves e delicados são colhidos cuidadosamente.

O preço elevado deve-se ao facto de serem necessárias condições climatéricas muito específicas para a sua colheita.

A época produtiva é normalmente pequena, o que não permite atingir grandes quantidades.

Grande segredo da flôr de sal:

A Flôr de Sal deve ser utilizada após a confeção, antes de servir, para afinar o tempero.

Tem a capacidade de despertar os sabores do prato, permitindo um sabor mais agradável e intenso.

A flôr de sal será melhor ou pior que outros sais?

Vejamos as diferenças:

O Sal Refinado, não provém diretamente de salinas.

É dissolvido e recristalizado a uma temperatura e pressão controladas em instalações industriais.

Os cristais são constituídos exclusivamente por cloreto de sódio e são todos iguais.

É seco pelo calor da combustão de derivados do petróleo e aditivado de diversas formas.

O Sal Marinho, o mais vulgar de todos, é recolhido em salinas por máquinas e é lavado quimicamente, centrifugado, seco e por vezes branqueado.

O Sal Marinho Tradicional, é produzido em pequenas salinas centenárias, utilizando métodos ancestrais.

É um processo 100% natural, sem qualquer processamento, ou uso de aditivos químicos, utilizando somente a água do mar e energia solar.

Possui mais minerais para além do cloreto de sódio e possui uma cor branca natural.

A Flôr de sal é o produto mais natural possível na cadeia de produção de sal.

Por isso mesmo, não sofrendo nenhum tipo de processamento químico, nem adição de aditivos, será melhor, sendo seguida do sal marinho artesanal.

Mas se o objetivo for arranjar um substituto do sal de mesa (sal refinado), que tenha menos cloreto de sódio e por isso faça melhor à saúde, a resposta não pode ser tão óbvia.

Embora a flôr de sal possua maior percentagem de cálcio, magnésio, potássio, ferro e iodo que outros tipos de sal, continua a ter 94 a 98% de cloreto de sódio e por isso.

Também deve ser usada com moderação.

Cozinhe com pouca água para poder intensificar ainda mais o sabor dos alimentos usados e experimente variedades de sal misturados com ervas aromáticas que possibilitam a utilização de menos sal.

Portanto, sabemos que maus hábitos alimentares intensificam o risco de desenvolvimento de muitas doenças como as cardiovasculares ou cancros.

A redução do consumo de sal é um dos pontos que mundialmente continuam a fazer parte das recomendações de todos os profissionais de saúde.

Assim, prefira sal marinho tradicional ou flôr de sal em moderação para temperar os seus cozinhados e lembre-se que uma pitada de flôr de sal no fim da confeção pode fazer maravilhas.