Está a tomar um antibiótico?

Bem Estar Você sabe o que são os antibióticos? Sabe quais são suas funções? Descubra tudo sobre eles aqui.
Você vai ler:

Os antibióticos são fármacos cuja ação principal é matar bactérias.

Quando se tomam antibióticos pretende-se que matem as bactérias que estão a provocar uma infeção num órgão ou tecido, como por exemplo, as amígdalas, o ouvido médio, o aparelho respiratório, a bexiga e a uretra, uma zona da pele, etc.

Os mecanismos usados pelos antibióticos são diversos, mas para serem eficazes devem ser tomados sem interrupções durante o número de dias indicado.

Sempre que se interrompe a toma de um antibiótico antes dele ter completado a sua ação, revelou-se às bactérias o modo de funcionamento bioquímico desse antibiótico.

Conhecendo as armas do inimigo e não tendo sido mortas, essas bactérias vão criar os seus meios de defesa face a esse fármaco. Quando se volta a tomar esse antibiótico as bactérias já criaram a sua resistência à sua ação e nós perdemos mais uma arma para o combate às infeções.

Se está a tomar um antibiótico cumpra de forma rigorosa o horário e o tempo completo de tratamento.

Os antibióticos entram na corrente sanguínea e percorrem todo o organismo, todos os órgãos, vísceras e tecidos e estendem a sua ação agressiva e letal à maior parte das bactérias presentes no nosso corpo.

Portanto, não atingem exclusivamente as bactérias presentes no local da infeção que se quer tratar.

Ora o nosso organismo vive em simbiose, quer dizer com proveito e necessidade mútua, com várias floras bacterianas que de forma normal povoam alguns dos nossos órgãos: a flora intestinal, a flora vaginal, a flora da orofaringe e a flora da pele.

A toma de antibióticos perturba o equilíbrio destas floras porque inibe ou mata uma parte significativa dos seus habitantes bacterianos.

As floras da pele e da orofaringe são facilmente repovoadas de microrganismos uma vez que estão permanentemente em livre contacto com o meio ambiente exterior.

Já o mesmo não acontece com a flora vaginal e a flora intestinal.

A flora vaginal equilibrada e saudável é constituída por várias estirpes de bactérias produtoras e ácido designadas de forma genérica por Lactobacilus  acidophilus e, dentro destas, por uma estirpe específica da flora vaginal denominadas Bacilus de Doderlein.

Na ausência da quantidade adequada destas bactérias produtoras de ácido láctico, o ambiente bioquímico da vagina altera-se tornando-se menos ácido do que deveria, o que favorece o desenvolvimento oportunista de vários tipos de infeções, que incluem a vaginose e infeções pelo fungo Candida albicans.

A toma recorrente de antibióticos pode estar na origem de candidíase vaginal  e de outras doenças e desequilíbrios da saúde vaginal.

Se está a tomar antibióticos poderá ser benéfico e ter uma ação preventiva da candidíase vaginal repovoar a sua flora vaginal com probióticos e prebióticos da flora vaginal.

Mas o maior impacto da toma recorrente de antibióticos faz-se sentir sobre a flora intestinal.

A flora intestinal  é constituída por um número de espécies de microrganismo não exatamente conhecido mas que se calcula ser de muitas centenas e cujo peso total será cerca de 60% da massa seca de fezes e terá um cariz pessoal, quer dizer a cada pessoa corresponderá uma flora intestinal própria.

Trata-se, portanto, de uma flora microbiana com uma dimensão muito considerável que desempenha um papel da maior importância para o equilíbrio da saúde do nosso organismo que inclui:

  • ajuda na digestão de alimentos
  • produção de vitaminas no lúmen intestinal - vitaminas do complexo B e vitamina K
  • estimulação e modulação da resposta do sistema imunológico.
  • manutenção da integridade da mucosa intestinal e da correcta absorção selectiva de nutrientes.

A toma recorrente de antibióticos altera substancialmente a flora intestinal, por vezes de forma dramática nos bebés e na infância comprometendo, de forma silenciosa e prolongada por longos anos.

O processo digestivo e a regularidade do funcionamento intestinal, a absorção de nutrientes, a produção de vitamina B e vitamina K e o equilibrado funcionamento do sistema imunitário que pode estar na origem de mais infeções recorrentes,  de alergias ou de doenças autoimunes.

Num atitude sabiamente preventiva, se está a tomar antibióticos deve repovoar a sua flora intestinal tomando probióticos, optando por uma gama de estirpes adaptada à sua idade.

O reequilíbrio da flora intestinal pode necessitar de mais de seis meses de toma de probióticos.