Está a tomar Ginseng?

Bem Estar Conheça algumas propriedades do Ginseng, fitoterápico que auxilia a saúde do coração, cérebro, e ainda reduz os níveis de estresse e fadiga.
Você vai ler:

Ginseng é uma designação genérica para várias espécies da mesma família, onde se incluem, entre outros, o Panax Ginseng, o Ginseng Americano e o Ginseng Siberiano.

De uma forma geral o Ginseng usa-se como fitoterápico pelas suas capacidades estimulantes e adaptógenas, quer dizer, aumenta a capacidade de adaptação humana a condições extremas de stress emocional ou ambiental.

Havendo várias espécies de Ginseng, cujos constituintes não são sobreponíveis, às suas características e acções fisiológicas não são iguais.

Por isso, nem todos os preparados fitoterápicos de Ginseng apresentam todos os efeitos adversos ou de interacções que descrevemos neste texto.

Mas como nem sempre é possível identificar qual o tipo de Ginseng de que é feito um determinado produto comercial, preferimos inserir todos os avisos de uma forma genérica.

Se está a tomar Ginseng, tome atenção a estes três aspectos:

Sobredosagem

A toma prolongada de Ginseng pode provocar sintomas de sobredosagem que são:

Insónia, irritabilidade, agitação, alteração do ritmo cardíaco que tanto pode ser diminuição do ritmo cardíaco como palpitações.

O tempo de uso de Ginseng a partir do qual podem aparecer efeitos de sobredosagem é muito variável de pessoa para pessoa.

É aconselhado a tomar Ginseng de forma contínua no máximo de três meses mas estar atento ao eventual aparecimento de algum destes sintomas.

Efeitos adversos em situações clínicas

Algumas espécies de Ginseng têm substâncias com efeitos semelhantes aos estrogénios.

Por esta razão, não devem tomar Ginseng as pessoas com alguma doença que possa estar relacionada com a ação dos estrogénios como são endometriose, mioma uterino, cancro de mama, ovário ou útero e próstata.

No entanto, o Ginseng americano  provou ter um efeito benéfico no uso simultâneo com quimioterapia no cancro da mama.

O Ginseng pode diminuir o ritmo cardíaco e a força do músculo cardíaco e provocar hipertensão arterial. As pessoas com doenças cardíacas não devem tomar Ginseng.

O Ginseng baixa o nível de açúcar no sangue e pode interagir com a insulina e com os medicamentos antidiabéticos orais, como a metformina. Os diabéticos não devem tomar Ginseng.

Interações medicamentosas

O Ginseng pode ter interações com muitos fármacos, em conjunto com os quais não deve ser tomado.

O Ginseng interfere na ação das plaquetas, podendo aumentar ou interferir com a ação dos antiagregantes plaquetários, o clopidogrel, ticlopidina, varfarina, heparina e aspirina.

Pode aumentar o risco de hemorragias ou de formação de coágulos.

O Ginseng altera o ritmo cardíaco e pode aumentar os efeitos adversos de antiasmáticos, clonidina e de sildenafil.

O Ginseng interfere com os fármacos inibidores da MAO e altera o nível de alguns neurotransmissores, pelo que pode interagir com psicofármacos como a cloropromazina.

O Ginseng estimula o sistema nervoso central pelo que pode aumentar o efeito de fármacos que atuam nesse mesmo sentido, como medicação para os síndromes de déficit de atenção, narcolepsia e obesidade.

As pessoas idosas e medicadas com fármacos de metabolização hepática devem estar atentos à possível interação do Ginseng.