Encontro de gerações nas férias: saiba as vantagens!

Sustentabilidade Quais seriam as vantagens de fazer um encontro de gerações nas férias? Venha ver as vantagens aqui.
Você vai ler:

Quais as vantagens para a família nesse encontro de gerações?

A presença da família no período de férias é fundamental pois para além de ser um período de descanso é também de crescimento.

O acompanhamento ao desenvolvimento dos seus filhos neste momento de prazer implica a presença de figuras atentas, afetuosas, comunicativas e criativas.

Mas, muitas vezes, pais e filhos não têm períodos coincidentes de férias. Os avós são um recurso inestimável, capazes de responderem às dificuldades dos filhos e de promoverem o desenvolvimento social, emocional e cognitivo dos netos.

Isso porquê?

Os avós são uma janela do passado. Através de relatos de fatos e experiências vividas crianças e jovens tem acesso a um passado familiar e histórico do qual obtém aprendizagens.

Por sua vez os avós ao reviverem essas experiências não só conseguem dar-lhes continuidade como muitas vezes atribuir-lhes significado mais positivos. Os netos são muitas vezes ouvintes atentos e interativos.

As crianças aprendem com os avós a respeito da realidade de envelhecer. As relações que se estabelecem com base no carinho compreensão e aprendizagem mútua permitem aos avós sentirem-se valorizados e queridos pelos netos, facilitando a atribuição (por ambas as partes) de um significado mais positivo à velhice.

A relação com os netos permite aos avós adotarem comportamentos mais jovens e descontraídos. Esses comportamentos de aproximação são valorizados e reforçados em comportamentos de respeito ao adulto.

No entanto, pela diferença de idades, é quase inevitável, existirem diferentes formas de pensar e atuar sobre a realidade. Daqui, surge a possibilidade de melhorar a comunicação e a capacidade de aceitação.

Neste contexto os netos aprendem com a experiência dos avós, e os avós que já criaram a sua família, vêem-na agora crescer e evoluir.

Falar de avós e netos pressupõe falar de pais. Cada elemento dessa tríade desempenha em simultâneo dois papéis.

Os principais problemas que podem emergir são os netos confundirem o papel de avós e pais; os avós confundirem o papel de avós e pais; e os pais confundirem o papel de filhos e pais.

Em cada contexto há que ter cuidado para evitar conflitos e exercícios simétricos. É necessário que cada um esteja seguro da sua função de forma a manter relações equilibradas.

O que se procura são relações complementares, em que nenhum dos elementos se impõe aos outros agindo com respeito à conduta do outro.

Muitas vezes verificam-se os mesmos princípios educativos entre pais e avós sendo, por serem, executados de forma diferente, mal interpretados. Mas é nesta interação, que cada elemento desenvolve um melhor conhecimento de si e do outro.

Solicitar e permitir a entrada dos avós na vida das famílias e no período de férias dos seus netos é promover um espaço de encontro entre gerações.

O papel dos avós vem assumindo características adequadas a novas dinâmicas familiares e a novos estilos de vida.

A sua importância é reconhecida e, através dos netos, conquistam-se por vezes relações mais estáveis entre avós e filhos.

Como vimos, os avós podem assumir um papel importante na vida dos netos, mas a relação inversa também se verifica. As vantagens são evidentes e extensíveis aos pais.