Devemos retirar o glúten da alimentação mesmo sem sintomas?

Alimentação Entenda quais os benefícios de se remover o glúten da alimentação, conheça algumas dicas para substituir essa proteína.
Você vai ler:

Nunca antes o glúten  foi tão falado.

Antigamente apenas se falava de glúten no caso da doença celíaca, mas atualmente diferentes especialistas falam das vantagens da remoção do glúten, e é possível relacioná-lo com diferentes patologias como a obesidade, as enxaquecas, a distensão abdominal ou mesmo a esquizofrenia ou o autismo.

Mas na ausência de doença celíaca e de sintomas gastrointestinais, valerá mesmo a pena retirar o glúten da alimentação

Comecemos por explicar que o glúten não é essencial à vida. O glúten (tal como o conhecemos) é uma proteína que existe em alguns cereais, pelo que, se desejamos fazer uma alimentação sem glúten basta substituir uns cereais por outros, sem termos qualquer prejuízo do ponto de vista nutricional.

Apesar de parecer teoricamente simples, do ponto de vista prático torna-se mais complicado, pois a nossa sociedade está bastante dependente dos cereais com glúten, em especial do trigo.

Apesar da diversidade de alimentos existente, os nossos hábitos alimentares conseguiram colocar o trigo em todas as refeições, em especial ao pequeno-almoço e nas pequenas refeições ao longo do dia: pão, tostas, bolos, bolachas, barras de cereais, cereais de pequeno almoço e tantos outros produtos têm o trigo como base.

Não é por isso de estranhar que só a ideia de remover o glúten (em especial o trigo) seja tão assustadora para a maioria das pessoas, em especial para aquelas sem diagnóstico de doença celíaca, e/ou sem os sintomas mais intensos associados à ingestão de glúten (tais como enxaquecas ou fortes dores abdominais).

Talvez devido a esta insistência em consumir alimentos com uma elevada capacidade de induzir respostas imunitárias (como é o caso do glúten) ou por outras razões (como a alteração da flora intestinal), a verdade é que muitos de nós começaram a reagir a esta proteína com maior ou menor intensidade, tornando-se na causa de diferentes queixas desde gastrointestinais, até rinite, enxaquecas ou mesmo dores nas costas, como já tínhamos falado anteriormente.

Algumas pessoas são incapazes de digerir o glúten na totalidade, levando à produção de gluteomorfinas, e que pode causar alguma adição por estes alimentos, dificultando ainda mais a tarefa de fazer uma alimentação sem glúten.

Mesmo que não tenha grandes sintomas, a verdade é que o glúten pode ser a causa de pequenas alterações: desde aquela retenção de líquidos que insiste em não melhorar, ou mesmo aquele cansaço que parece que não diminui.

Por isso mesmo, e visto que do ponto de vista nutricional não representa grande risco, experimente retirar o glúten durante um mês, e veja como se sente no final!

Faça, por exemplo, pão sem glúten em casa.