Depressão ou cérebro desnutrido?

Suplementação Existe algumas suplementação que podem ajudar a controlar a depressão ou tristeza prolongada.
Você vai ler:

A depressão é uma perturbação psicológica muito discutida por ser bastante frequente.

Tristeza prolongada, desinteresse ou falta de prazer em qualquer atividade.

Falta de energia, cansaço persistente, falta de concentração e de memória, falta ou excesso de apetite, alterações no sono (sonolência ou perda de sono).

Diminuição gradual da líbido, baixa auto-estima, ansiedade, apatia.

Os sinais podem ser muito diversos de pessoa para pessoa.

Mas há algumas causas nutricionais que podem estar por detrás desta sintomatologia.

A suplementação ajuda a melhorar os sintomas quando a deficiência está presente.

Vitaminas do complexo B

A relação entre as diversas vitaminas B e a função cerebral é evidente. Sem vitaminas B diversos neurotransmissores ficam comprometidos, o que dificulta o trabalho cerebral.

Há diversos estudos a demonstrar benefícios em sintomas depressivos após suplementação.

A medição da homocisteina é uma forma indirecta de verificação dos níveis de ácido fólico, vitamina B6 e vitamina B12: se o seu valor de homocisteína for alto provavelmente tem deficiências vitamínicas.

Com homocisteína alta, a probabilidade de depressão aumenta.

Ómega 3

A familia dos ácidos gordos ómega 3 é fundamental para o funcionamento do cérebro.

Estes fazem parte da sua estrutura e são importantes na comunicação entre neurónios.

Os ómega 3 de destaque são o EPA e DHA.

Comer pouco peixe é factor de risco para depressão e diversas investigações mostram que quanto mais ómega 3 (peixe, algas, sementes linhaça) é ingerido, menor é a prevalência da doença.

A suplementação apresenta também resultados muito positivos.

Aminoácidos essenciais

Nove aminoácidos não conseguem ser produzidos pelo organismo e têm por isso que ser fornecidos pela alimentação (aminoácidos essenciais).

As fontes completas de aminoácidos são as carnes, peixes, ovos, lacticínios.

Nas fontes vegetais a mais completa é a soja, sendo que a combinação de outros alimentos como arroz e feijão também nos podem fazer esse aporte.

Dietas restritivas só com saladas e sopas podem resultar em depressão.

O aminoácido essencial Triptofano é necessário para a formação da serotonina, um neurotransmissor essencial ao bom humor.

Não esqueça por isso as fontes proteicas na sua alimentação (mesmo que prefira as fontes vegetais) e se necessário recorra a suplementação.

Vitamina D

Se o seu valor de vitamina D não estiver normal poderá estar a sentir cansaço e falta de energia.

Além disso sabe-se que a deficiência de vitamina D aumenta o risco de depressão e que poderá ajudar no alívio de alguns sintomas.

Meça a sua vitamina D!

Minerais: zinco, crómio e ferro

Pacientes com depressão apresentam com muita frequência deficiências de zinco, crómio e ferro.

Infelizmente a alimentação dos dias de hoje está muito empobrecida em alguns minerais.

Alguma evidência científica mostra maior probabilidade de depressão quando a ingestão de minerais é baixa e também melhorias de sintomas após suplementação.

Sensibilidades alimentares

Uma doença celíaca não diagnosticada pode ter consequências neurológicas/psicológicas graves.

Existem também situações em que não há diagnóstico de doença celíaca, mas que sensibilidades alimentares parecem ser a causa escondida de sintomas semelhantes a depressão.

O glúten e os aimentos que o contêm, poderão estar por detrás de diversos sintomas depressivos, mas os alimentos causadores podem também ser outros.


Níveis de açúcar no sangue

A estabilização dos níveis de açúcar no sangue ao longo do dia, não vai resolver uma depressão.

Mas, permite estabilizar um pouco o humor e diminuir a ansiedade, irritabilidade e até descontrolo emocional em algumas ocasiões.

Com fome ou próximos de uma hipoglicemia é muito mais difícil pensar e é mais fácil de se descontrolar.

Poderá ler aqui sobre antidepressivos naturais e aqui sobre a relação inflamação-depressão.

Tenha em conta todos estes pormenores nutricionais e comece já a eliminar possíveis deficiências que estejam a condicionar a sua saúde e bem-estar.

Para um diagnóstico de depressão deve consultar um médio.