Comer como no Paleolítico será bom?

Alimentação Saiba mais sobre a dieta paleolítica e conheça os benefícios que a mesma traz para a saúde.
Você vai ler:

Começam a ser cada vez mais os que defendem que devemos comer da mesma forma que os nossos antepassados, há mais de 10 mil anos e praticar uma dieta paleolítica.

A dieta do Paleolítico representa a alimentação que o Homem nessa altura praticava – eramos então, caçadores recolectores.

Cerca de 70% dos alimentos consumidos hoje, não existiam no Paleolítico.

Nesta altura, só se comia o que poderia ser caçado, pescado e apanhado da natureza.

Carne, peixe, marisco, ovos, oleaginosas, raízes, frutas e legumes.

Os alimentos eram biológicos, os animais selvagens e respeitavam-se os ciclos da Natureza.

A maior parte dos alimentos era consumido cru, mas começou a cozinhar-se ligeiramente alguns alimentos.

A bebida de eleição tinha de ser a água ou quanto muito água de coco.

Portanto os seguidores desta alimentação não consomem lacticínios, leguminosas, batatas, cereais nem todo o tipo de alimentos processados:

Margarinas e cremes vegetais, bolachas, cereais prontos a comer, bolos e biscoitos.

A alimentação era rica em proteínas de elevado valor biológico, moderada em gordura (predominantemente mono e polinsaturada).

Rica em fibras mas sem grandes quantidades de hidratos de carbono, com baixo conteúdo de sal e riquíssima em vitaminas, minerais e antioxidantes.

Gorduras trans e açúcares simples não são consumidos.

Há também um grande incentivo à atividade física e à hidratação, há um grande respeito pela natureza, variedade alimentar e a tão característica aversão a alimentos industrializados.

Ora, visto desta forma, devem existir benefícios ao iniciar uma alimentação deste género.

E de facto existem.

Os estudos existentes apresentam algumas limitações como amostras pequenas, ausência de controlos, períodos curtos de investigação.

Mas ainda assim, há bastante material a indicar efeitos positivos, por exemplo em casos de diabetes tipo 2.

Que viram melhorias na sua hemoglobina glicada, triglicerídeos, pressão arterial, peso e perímetro da cintura.

É uma alimentação que se demonstra muito saciante e geralmente com baixo valor calórico, o que é ótimo para quem gostaria de controlar o apetite e peso.

Muitas doenças crónicas podem ser prevenidas com este tipo de estilo de vida.

Só pelo facto de haver diminuição de cereais, e exclusão completa de açúcares simples e gorduras trans já se verificam evidentes benefícios na saúde.

Poderá haver alguns inconvenientes no cumprimento desta alimentação, nomeadamente a questão da sustentabilidade ambiental já que a ingestão de carnes, peixes e ovos é elevada; o seu custo.

A dificuldade em consumir todos os produtos biológicos e se manter afastado principalmente dos cereais (arroz, massa, quinoa, millet,…).

Podem ocorrer algumas deficiências nutricionais, por exemplo de cálcio e por isso lembre-se das fontes de cálcio e não dispense a medição da sua vitamina D. 

Para algumas pessoas, o aumento de ingestão de proteínas que ocorre com o inicio deste tipo de alimentação, pode ser prejudicial.

A dieta do paleolítico apresenta muitos benefícios e se a quer seguir, faça-o variando o mais que puder nos alimentos que escolhe.

Mas se quer ir buscar só alguns ensinamentos deste tipo de alimentação e manter o consumo e alguns cereais integrais, estará igualmente a ter uma alimentação amiga da sua saúde.