Coco: uma fruta com diferentes utilizações

Alimentação Veja algumas das utilizações do coco, um produto rico em características nutricionais.
Você vai ler:

Com a sua forma redonda e de casca dura, o coco é uma fruta pouco usada pelos portugueses.

Exceção feita ao seu leite usado normalmente na elaboração de diferentes pratos, ou do coco ralado que usamos na confecção de alguns bolos.

Beber água de coco diretamente do coco estará também no imaginário de todos os que já visitaram ou desejam visitar o Brasil.

Mas o coco tem muito mais utilizações do que esta, apresentando diferentes vantagens nutricionais.  

O coco possui um elevado teor em gordura, em especial saturada.

Mas é uma gordura saturada que não só possui alguns ácidos gordos com atividade antibacteriana e antifúngica, como também são, na sua grande maioria, ácidos gordos de cadeia média.

Estes ácidos gordos são digeridos, absorvidos e metabolizados de uma forma diferente das outras gorduras.

Não possui colesterol, tem um teor médio de hidratos de carbono e baixo de proteínas, e alguma fibra, sendo uma excelente fonte de manganês.  

A parte comestível do coco é a parte branca situada na parte interior, assim como o liquido contido nos cocos mais frescos.

Nalguns países é possível abrir o coco e beber diretamente este liquido – chamado de água de coco.

A composição nutricional desta água de coco torna-a uma excelente opção nos casos de desidratação

Tem um teor mineral que optimiza a hidratação, e tem um teor de glicose muito ligeiro, para fornecer alguma energia.

Quando o fruto está fresco é ainda possível comer a polpa, com a ajuda de uma colher. 

Desta polpa de coco é possível fazer o leite de coco – para isso basta abrir o coco, retirar a polpa, desfaze-la com água e depois coar.

Pode conseguir comprar polpa fresca ralada (que é diferente de coco ralado, que está seco).

Há também receitas de leite de coco caseiro usando coco ralado desidratado.

Se não quiser ter este trabalho, pode comprar o leite de coco já preparado – recomendamos que leia os rótulos, e prefira os produtos de origem biológica e com o menor número de aditivos.

Este leite  de coco pode ser misturado em diferente pratos, misturado com frutas para fazer diferentes batidos, ou mesmo substituir o leite de vaca em diferentes receitas.

Um excelente exemplo é o arroz doce feito com leite de coco em vez de leite de vaca. 

A partir da polpa do coco é possível a obtenção de diferentes produtos alimentares, nomeadamente o coco ralado ou flocos, o óleo ou a manteiga de coco, e ainda a farinha de coco.

Todos estes produtos têm utilizações e características nutricionais próprias. 

Manteiga de coco: 

A "manteiga” de coco pode ser obtida a partir do coco ralado.

Havendo já algumas receitas disponíveis, como esta: Esta "manteiga” de coco tem uma consistência cremosa e pode ser uma opção para barrar o pão. 

Óleo de coco: 

Apesar do nome, este óleo é sólido à temperatura ambiente, e isso deve-se ao seu elevado teor em gordura saturada, possuindo diferentes compostos antioxidantes. 

Cerca de 2/3 do teor de gordura do coco são ácidos gordos de cadeia média – do ponto de vista nutricional.

Estes ácidos gordos são muito interessantes, em especial nos casos de má absorção e má digestão. 

As gorduras saturadas do óleo de coco são principalmente o ácido láurico e o ácido cáprico.

Ambas parecem ter capacidades antibacterianas, antivíricas e antifúngicas.

O ácido láurico pode ainda ser convertido num composto chamado monolaurina  que parece também possuir efeitos antimicrobianos e antivíricos.

O óleo de coco tem também alguma quantidade de ácido caprílico.

Dada o seu perfil de ácidos gordos, mantêm-se estável a altas temperaturas, mas se quer manter os seus compostos antioxidantes, sugerimos que o consuma a frio.

Porque é sólido à temperatura ambiente, pode usa-lo para barrar o pão.  

Farinha de coco: 

Esta é obtida da partir da polpa de coco já seca, e pode ser de cor branca ou acastanhada, caso inclua a pele, o que a torna ainda mais rica em fibra. 

Ao contrário das farinhas feitas a partir de cereais, ao ser feita do coco, o teor de hidratos de carbono é mais baixo, e possui um baixo índice glicémico.

Podendo ser por isso uma boa opção caso pretenda diminuir a sua ingestão de hidratos de carbono.

É ainda uma farinha sem glúten, que por ter algum teor de gordura, deixa os produtos mais fofos.  

Açúcar de coco: 

De cor acastanhada, parecida com o açúcar mascavado ou a rapadura, apresentando um subtil sabor doce com um pequeno toque de caramelo.

É o único produto do coco que não vem da fruta, mas sim da seiva dos botões das flores do coco.

Tem um teor de sacarose um pouco mais baixo, tendo uma absorção mais lenta, o que o classifica como um alimento de baixo índice glicémico.

Tem muito mais zinco e magnésio que o açúcar mascavado, tendo ainda algumas vitaminas do complexo B, sendo por isso uma opção mais saudável.    

Apesar das características nutricionais, os produtos à base de coco apresentam um teor calórico mais elevado.

Assim como uma maior quantidade de gorduras saturadas (exceto o açúcar de coco).

Recomendamos por isso que fale com um nutricionista/ dietista para perceber qual o produto e a quantidade adequada ao seu caso e os objetivos pretendidos.