Biorritmo do cortisol

Bem Estar Confira a importância do cortisol para a saúde e conheça algumas formas viáveis para saber o nível de cortisol do organismo.
Você vai ler:

O cortisol é um hormonio produzida pelas glândulas supra-renais.

A sua produção está sincronizada com o ritmo do sol, sendo estimulada pelo amanhecer.

Dado o papel central que o cortisol desempenha na resposta biológica ao stress, este é também um forte estímulo à sua produção, independentemente do ritmo solar.

O nível de cortisol no organismo pode ser medido no sangue e na urina.

Mas a forma mais fiável para conhecer a variação do seu nível ao longo do dia é a medição de cortisol na saliva.

  • Medição do biorritmo do cortisol na saliva

Habitualmente faz-se a colheita de saliva às 9h, 13h, 16h e 23h.

  • Biorritmo do cortisol equilibrado

Os resultados normais devem mostrar um pico muito elevado de cortisol às 9 h.

Os valores de cortisol às 13h e 16h são progressivamente mais baixos.

Às 23h o nível de cortisol deve ter um valor muito baixo.

Quando o biorritmo do cortisol está desequilibrado:

  • Às 9h não há um pico elevado do nível do cortisol:

A pessoa está cansada, eventualmente exausta, de manhã não sente energia para se levantar e encarar o dia de trabalho, sofre de esgotamento ou tem um burnout, ambos consequência de fadiga adrenal.

  • Às 13h ou às 16 h o nível de cortisol está mais elevado que os valores normais para essa hora:

A pessoa está a lidar com stress intenso e contínuo.

Se não alterar o seu estilo de vida ou a forma como reage aos eventos diários da sua vida caminha para a exaustão, o burnout, a fadiga adrenal.

  •  Às 24h o nível de cortisol é elevado:

O stress do dia estende a sua ação orgânica pela noite dentro.

A pessoa tem insónia e o seu sono é não repousante. Acorda cansada e sem energia para enfrentar os desafios do dia que começa.

É habitual neste caso não se observar o pico elevado de cortisol matinal.

Está na zona de alarme e na linha de precipício para o burnout ou o esgotamento.