Beber ou não beber leite? Eis a questão!

Alimentação Conheça todos os benefícos do leite, mas fique atento aos processos quimicos presentes em sua produção.
Você vai ler:

O leite materno é indispensável e isso não está em causa. Falemos pois do consumo de leite dos 3 anos em diante. Normalmente quando se fala de leite referimo-nos a leite de vaca, mas também se comercializa leite de cabra, ovelha e búfala.

Este alimento parece desencadear reações extremas, sendo que nos dias de hoje encontramos com muita frequência pessoas que não o dispensam por nenhuma razão e os que o odeiam de forma quase fundamentalista.

Ora no bom senso é que está a resposta. Há muitas situações em que o leite realmente não é adequado e outras em que se justifica o seu consumo.

Se a nutrição fosse simples não tinha tanto interesse!

Produção industrial

Muitas das desvantagens associadas hoje ao consumo de leite devem-se aos modernos métodos de produção agroindustrial. O cocktail de compostos que se pode encontrar num copo de leite podem ser-nos muito prejudiciais. Beba leite biológico.

Alergia ao leite

Quanto existe alergia à proteína do leite as reações ao seu consumo são geralmente intensas (trato gastrointestinal, pele e sistema respiratório).

Desde cedo se detetam sintomas que levam os profissionais de saúde a pedir avaliação de IgE (imunoglobulinas E) e a verificar a alergia.
Neste caso não se pode ingerir nada que contenha leite e derivados.

Intolerância à lactose

70% a 80% da população mundial apresenta baixos níveis de lactase, a enzima capaz de digerir o açúcar do leite – a lactose.

Não beba leite se quando bebe sentir mal-estar digestivo, flatulência, digestão lenta, diarreia, obstipação ou tiver cólicas abdominais. Neste caso pode beber leite sem lactose, usar as alternativas vegetais e consumir derivados como a manteiga, iogurtes e queijo.

Hipersensibilidade

Embora o tema ainda seja muito polémico (e apareça mais vezes descrito como intolerância), começam a aparecer artigos científicos que assumem que para além das alergias, podem existir outras reações, nomeadamente mediadas por IgG (imunoglobulinas G) ao leite de vaca.

Há por isso muitas situações de doenças inflamatórias e de cariz mais imunitário que beneficiam muito com a eliminação do leite e derivados.

Esta questão é verificada diariamente na nossa prática clínica em adultos.

Também crianças necessitam muito frequentemente de eliminação de proteína do leite, principalmente nos casos de infeções ORL e respiratórias de repetição ou de doenças do espectro do autismo. O acompanhamento nutricional adequado é indispensável em todos os casos.

Prevenção/aumento de risco de cancros

Esta questão é polémica e não há uma resposta concreta. Sobre o cancro da mama pode ver o que escrevemos aqui.

Quanto ao facto de a Harvard School of Public Health ter feito uma alteração no guia My Healthy Eating Plate, de facto o leite foi retirado da representação gráfica mas continua a ser recomendado o seu consumo só que em baixas quantidades.

Alguns estudos demonstraram aumento do risco de cancro da próstata e ovário em consumidores diários (e em grandes quantidades) de leite. Mas também se encontram estudos onde o leite parece ter um papel de prevenção do cancro.

Caso a caso, a situação deve ser avaliada, quando falamos de situações em que o cancro já está instalado. Para prevenção, beba/coma lacticínios biológicos e varie com opções vegetais.

Preocupação com os animais e com o ambiente

Se não quer beber leite por questões de preocupação com o tratamento que é dado aos animais ou por se preocupar com a gestão dos recursos naturais do nosso planeta, saiba que pode ser saudável se não o consumir.

Faça uma alimentação muito variada escolhendo alimentos com cálcio, pratique exercício físico, meça os seus níveis de vitamina D.

Se digere bem o leite, é saudável e quer beber leite, beba biológico! Alterne o de vaca, com cabra, ovelha e as bebidas vegetais que são tão diversas.

Se só consegue beber leite com chocolate, com sabores ou com várias colheres de açúcar – não beba!

Escolha outras alternativas ou comece a diminuir o açúcar que coloca até não precisar de nenhum. Um pouco de farinha de alfarroba, misturas de cereais com ou sem café, cacau em pó puro ou até canela, são boas opções para dar sabor ao leite.

Se não o quer beber, não beba e tenha outros cuidados com a sua alimentação.

Experimente fazer bebidas vegetais. Não beba sempre o mesmo, varie!