Beber água – alguns segredos

Bem Estar Veja a importância de beber água e como ela é benéfica para o organismo.
Você vai ler:

Beber água faz bem. Sim já sabemos.

Mas será que sabemos beber água da forma mais adequada ao objectivo que queremos atingir?

Beber água gelada, fria, morna ou quente, beber água em jejum, entre as refeições ou durante as refeições, beber água em pequenos golos ou um copo de uma assentada tem efeitos muito diferentes no nosso organismo.

Ora vejamos:

Beber água gelada ou fria – frio que provoca calor!

A temperatura do nosso corpo é estável e deve manter-se por volta dos 36ºC.

O contacto com qualquer estímulo mais frio ou mais quente que esta temperatura, faz activar os mecanismos corporais de aquecimento ou arrefecimento para que a temperatura geral do organismo se mantenha cerca dos 36ºC.

Quando se ingerem bebidas geladas ou frias o estômago tem que as aquecer o mais rapidamente possível. Para isso, há uma súbita chamada de mais quantidade de sangue para a zona gástrica de forma a aquecer o estômago e os alimentos frios que foram ingeridos.

Este mecanismo é tão eficaz que alguns minutos depois a temperatura da zona gástrica pode estar mesmo mais elevada do que antes da ingestão da bebida gelada.

É por isso que os habitantes do deserto, quando querem matar a sede, bebem chá ou água à temperatura corporal. Aprendamos com quem sabe!

Beber água durante a refeição – pouca e morna.

O processo digestivo dos alimentos faz-se com a ajuda de enzimas e outras substâncias químicas produzidas pelos órgãos digestivos – estômago, fígado, duodeno, pâncreas e intestino.

Se estes sucos digestivos forem diluídos em grande quantidade de água a sua acção também se dilui. Tal como uma tinta vai perdendo intensidade na medida em que aumente a água onde é diluída, assim acontece com a capacidade digestiva dos sucos digestivos.

Beber grande quantidade de água à refeição dificulta a sua digestão.

Os enzimas digestivos entram em acção à temperatura corporal. Se ingerir alimentos gelados ou frios ou bebidas frias durante a refeição está a dificultar a digestão.

Durante a refeição o mais adequado é beber pouca água e de preferência morna. Um chá ou uma tisana são uma boa opção.

Beber água em jejum – ideal para bem começar o dia!

Em jejum é o momento ideal para beber uma grande quantidade de água.

Depois de uma noite de sono o seu corpo está desidratado. Tem necessidade de uma grande quantidade de água para drenar os fluidos digestivos, estimular o trabalho do rim e da linfa e hidratar as mucosas respiratórias, a pele e o sistema musculo-esquelético.

Quando inicia a ingestão de alimentos em jejum está a estimular o movimento peristáltico de todo o tubo digestivo que esteve mais descansado e lento durante toda noite.

De cada vez que engole dá início a uma onda de contracção que, tendo início na garganta se estende por todo o tubo digestivo.

Se quando beber um grande copo de água em jejum o fizer em muitos e pequenos golos sucessivos, está a dar início a uma sequência de muitas ondas de contracção de todo o seu tubo digestivo que facilita o trabalho intestinal e contraria a obstipação.

Se quando beber um grande copo de água em jejum a água estiver morna, à temperatura corporal, está a dar ao seu organismo uma ajuda inestimável para se hidratar e desintoxicar.

Beber água entre as refeições – o segredo para hidratar!

No intervalo entre as refeições, quando o estômago já não está ocupado a fazer a digestão, a água que beber é rapidamente absorvida e muito facilmente disponibilizada para hidratar todos os compartimentos do seu corpo.

Uma hidratação contínua e eficaz previne o aparecimento das rugas, evita a desidratação dos discos intervertebrais responsável por muitas as hérnias discais, aumenta a capacidade de trabalho cerebral, é indispensável para uma boa desintoxicação digestiva e renal.

Beber água entre as refeições, cerca de 1,5 litro por dia, de preferência alcalina, é um segredo de bem-estar, de vitalidade. Tão facil! Tanto por tão pouco!