Bandas Kinesiotape - As bandas que ajudam o corpo nas lesões

Bem Estar As bandas Kinesiotape são ótimas aliadas para ajudar amenizar suas dores, evitar lesões, além de melhorar a circulação sanguínea.
Você vai ler:

As bandas Kinesiotape são fabricadas com fibras de algodão, são hipoalérgicas, não tem latex e possuem uma capacidade de distensão no sentido longitudinal, permitindo uma variação de comprimento entre 30 a 60%.

Estas bandas são aplicadas directamente sobre a pele segundo orientações bem determinadas em função, da lesão, da área da lesionada e do objectivo que se pretenda atingir.

Devem ser portanto aplicadas após diagnóstico do problema e por pessoal habilitado para o fazer.

Não tem efeitos secundários, são permeáveis ao ar, o seu poder de aderência aumenta com o calor.

Podem ser utilizadas até 5 dias, são facilmente retiráveis e podem estar em contacto com a água, permitindo o banho e as actividades aquáticas.

As bandas não se podem aplicar sobre as feridas, quando existem problemas de pele ou quando a pessoa desenvolve alergia aos componentes da cola.

Ao ser aplicada sobre a pele e exercendo tensão sobre esta, a fita vai provocar um afastamento entre a pele e o tecido subjacente.

Este aumento de espaço vai favorecer a drenagem veno-linfática e aumentar a resposta celular local ao traumatismo.

Por outro lado, como a pele possui múltiplos e variados receptores sensoriais sensíveis às pressões baixas, ao estiramento e às variações de pressão (células de Merkel, corpúsculos de Ruffini e corpúsculos de Pacini).

Todo o circuito de informação a nível do sistema nervoso central é estimulado de forma a desenvolver uma resposta adequada quer em termos de analgesia, de proprioceptividade e de melhoria da função musculo-articular.

Neste momento, os poucos estudos que existem não permitem averiguar a eficácia desta técnica, no entanto em termos práticos.

Esta tem sido muito utilizada sobretudo a nível desportivo e mesmo a nível da alta competição.

As bandas existem em diferentes cores e tamanhos.

Para uns a aplicação em termos de cor não tem especial significado a não ser pela relação com a cor do equipamento ou da modalidade desportiva.

Para outros e segundo a forma de ver asiática a cor pode ser importante.

Quando assim é e na técnica muscular, usa-se a banda vermelha orientada da origem do músculo para a sua terminação com o músculo posicionado em estiramento máximo mas sem tensão sobre a banda o que permite um efeito de estímulo ou de reforço.

Por estas razões, a banda vermelha é também usada lesões crónicas e nas atrofias.

Usa-se a banda azul orientada da inserção para a origem do músculo quando se pretende um efeito de apaziguamento ou relaxamento. Aplica-se nas situações agudas ou de sobrecarga.

Ao longo destas décadas tem aparecido diferentes bandas de diferentes marcas, mas em qualquer dos casos o mais importante é ser avaliado por um profissional de saúde que o orientará e aconselhará.