As abelhas e as flores da horta

Sustentabilidade Veja a importância das abelhas para as hortas naturais, sendo extremamente eficazes no processo de polinização.
Você vai ler:

As plantas que atraem os insetos, quando em flor transformam a horta num colorido jardim e criam equilíbrios entre pragas e auxiliares.

Algumas são aromáticas, condimentares e/ou medicinais, outras são apenas hortícolas que deixamos dar flor para darem frutos (melão, pepino, abóbora), ou para depois guardar a semente, mesmo quando não dão fruto comestível (cebola, alho-francês, cenoura, couve, nabo).

Os insetos polinizadores e em particular a abelha, são indispensáveis à frutificação dos frutos da hora.

A abelha numa flor de pepino, a recolher néctar e pólen e ao mesmo tempo a transportar pólen dumas flores para outras permitindo assim a fecundação e a frutificação.

A falta de abelhas, muito por causa da aplicação dos pesticidas de uso agrícola (em especial os inseticidas neonicotinóides, extremamente tóxicos para insetos), tem vindo a afetar a produção de várias culturas agrícolas e a obrigar à colocação de colmeias artificiais com outros polinizadores, como os abelhões do género Bombus. 

  • Abelha a polinizar e a recolher o pólen em flor de pepino;
  • Abelhão (Bombus spp.) em flor de segurelha;

Uma forma mais natural de atrair e fazer aumentar a população de abelhas e doutros insetos polinizadores, é a sementeira de plantas melíferas, que também podem ser aromáticas, condimentares ou medicinais.

Destacamos agora uma planta originária doutro continente (Sudoeste dos Estados Unidos e Norte do México), mas que se adaptou muito bem à Europa e à região mediterrânica onde Portugal se situa.

Trata-se da facélia (Phacelia tanacetifolia), que é também cultivada como adubo verde, e nos jardins como ornamental.

É das plantas que mais néctar produz, podendo dar origem a grande produção de mel no caso de existência de abelhas por perto em apiários com colmeias exploradas na produção melífera.

Plantas melíferas e produção de néctar e mel, considerando todo o terreno com apenas uma das espécies indicadas.

A facélia é pois uma planta muito nutritiva para as abelhas, onde estas podem relaxar e recarregar boas e grandes reservas para melhor suportarem o frio do Inverno.

Abelha a carregar pólen e néctar em flor de facélia (Sintra, julho 2014)

Esta generosa planta mantém-se em floração durante muito tempo e é também por isso que produz muito.

Desta forma também constitui um infraestrutura ecológica das melhores para vários insetos auxiliares no combate de pragas, como é o caso dos sirfídeos, que na fase adulta se alimentam sobre este tipo de flores, e na fase larvar consomem afídeos (pulgões ou piolhos).

A facélia é pois uma planta praticamente indispensável no quintal biológico, seja na horta seja no jardim, ou talvez melhor na horta-jardim, pois já não faz sentido separar os dois espaços.

A horta também é jardim e o jardim deve também produzir alimentos, ao menos para os insetos.

Ela deve ser semeada no Outono ou no Inverno, germina e cresce bem com tempo frio, mas só dá flor com dias longos acima das 13 horas de luz.

Para começar, pequenas quantidades de semente podem ser compradas pela internet e no final da cultura podemos colher a semente para voltar a semear na época seguinte.