A nossa pele reflete segredos emocionais

Bem Estar Venha entender como e porque nossa pele reflete os nossos segredos emocionais.
Você vai ler:

Os conflitos emocionais prolongados e não expressos são, por vezes, a causa escondida de lesões e doenças da pele.

A pele e o cérebro estão intimamente ligados desde a origem, mantendo secretas ligações durante toda a vida.

No início do desenvolvimento embrionário do ser humano existem apenas três estruturas básicas a partir das quais todos os sistemas orgânicos se irão desenvolver. São designadas por folhetos embrionários.

A pele e o cérebro têm origem no mesmo folheto embrionário!

Ao conhecer esta origem comum, consegue compreender melhor porque é que a nossa pele fica bem mais bonita e com um brilho especial quando estamos felizes, apaixonados e vibramos com a vida!

A pele transparece e reflecte as emoções e os estados de espírito.

É essencial que compreenda que a pele é o nosso maior órgão. É a nossa zona de fronteira. A pele delimita o eu do não eu. A pele acaba por ser o órgão através do qual estabelecemos a mais extensa e complexa comunicação com o mundo exterior.

Com a pele sentimos e quase "pré”sentimos.

Quantas vezes não sentimos um arrepio na pele como a expressão imediata e antecipada à tomada de consciência de uma forte emoção? E o suor na palma das mãos?...

A pele é um órgão que se exprime em consonância com o cérebro sem precisar de autorização para isso. As ligações secretas estão lá, desde o início.

Quando uma pessoa vive uma situação emocionalmente intensa sobre a qual sente necessidade de falar, de comunicar, mas decide optar pelo silêncio e tudo calar, por razões de ordem familiar, social ou profissional, a pele vai desobedecer à ordem de silêncio e vai começar a comunicar ao mundo.

Como é muito capaz, o turbilhão de informações que recebe do cérebro.

Nos tratamentos médicos, quantos pruridos, atopias, eczemas, urticárias, vitiligo, dermatites inespecíficas, não respondem favoravelmente a nenhum dos tratamentos instituídos e conclui-se afinal, com um olhar mais atento, ser a expressão silenciosa, mas exuberante, de:

  • Mau-estar emocional;
  • Conflitos não resolvidos;
  • Violência silenciada;
  • Lutos por fazer;
  • Culpa não perdoada;
  • Tantas palavras por dizer.

Um turbilhão de sentimentos torna-se visível com problemas que a pele não consegue esconder.

Compreender esta relação poderá ser o primeiro, e indispensável, passo de um caminho de recuperação, que poderá passar por alguma forma de psicoterapia, capaz de devolver a saúde à pele e a serenidade à vida. Este importante passo fará com que a pessoa comece a "sentir-se bem na sua pele”.

A pele e o cérebro estão intimamente ligados desde a origem, e mantêm secretas ligações durante toda a vida. Saibamos compreender o que a pele nos comunica.