A agricultura biológica é mesmo uma necessidade?

Alimentação Veja porque devemos escolher os produtos biológicos, além de serem melhores são mais saudáveis e trazem inúmeros benefícios à saúde.
Você vai ler:

A procura por alimentos biológicos tem crescido cada vez mais. Se por um lado há um número cada vez maior de pessoas que procura este tipo de alimentos, por outro há ainda diferentes pessoas que se questionam se realmente vale a pena pagar mais por estes produtos.

Os produtos biológicos são realmente melhores?

Sim. Quem já provou alimentos biológicos sabe que o sabor não engana. Os alimentos de produção biológica lembram-nos os "sabores de antigamente" e fazem-nos perceber porque é que sentimos tanto prazer em comer. Com estes tipo de alimentos não necessitamos grandes truques culinários – até nas preparações mais simples, o verdadeiro sabor dos alimentos sobressai.

Relativamente à questão nutricional, diferentes estudos têm demonstrado a maior riqueza nutricional deste tipo de alimentos. Mas infelizmente, o estudo comparativo dos teores nutricionais dos alimentos pode ser facilmente manipulado: basta comparar alimentos menos maduros, com alimentos no ponto certo, ou mesmo comparar alimentos recém colhidos com alimentos já armazenados. Desta forma, é possível encontrarmos estudos que contrariam a maior riqueza nutricional dos alimentos de agricultura biológica.

Os produtos biológicos são realmente mais saudáveis?

Sim. Por um lado porque são nutricionalmente mais ricos, e depois porque estão isentos de agrotóxicos.

Os produtos convencionais atualmente à venda apresentam quantidades residuais de diferentes agrotóxicos: quantidades essas que as entidades competentes controlam de forma eficaz para que não ultrapassem os limites legais. Qualquer empresa que venda produtos com quantidades de agrotóxicos acima do valor considerado seguro arrisca-se a uma multa pesada. Mas serão as doses consideradas seguras realmente seguras?

As doses consideradas seguras foram determinadas recorrendo à toxicologia clássica. Como já tínhamos falado anteriormente, há uma diferença clara entre a toxicologia clássica e a toxicogenómica. Esta nova área de investigação científica veio a revelar que alguns compostos tóxicos, mesmo dentro das doses consideradas seguras são capazes de induzir danos, invisíveis a curto prazo, mas que se podem manifestar apenas anos depois.

Aparentemente, estes agrotóxicos são capazes de alterar a forma como expressamos os nossos genes, ativando ou silenciando a expressão genética. Desta forma, o consumo regular deste tipo de produtos vai alterando a forma como o nosso corpo lê as nossas informações genéticas, favorecendo o aparecimento de diferentes doenças: obesidade, infertilidade, demência, doença de Parkinson, síndrome de hiperatividade e défice de atenção, ou autismo, são apenas algumas das consequências.

Atualmente já é possível encontrar produtos biológicos em cada vez mais locais, e vai perceber que nem sempre são mais caros que os produtos convencionais.

Se o dinheiro é um problema, comece devagar: escolha um tipo de alimento bio (como a fruta) e veja o impacto financeiro no final do mês. Caso seja suportável, passe para outro tipo de alimentos bio (como os hortícolas), e assim sucessivamente: se a sua alimentação for apenas 30 – 40 % bio, é bem melhor que 100% convencional!

Em Portugal, todos os produtores bio estão certificados, e estão sujeitos a controlos periódicos. Por isso, quando for comprar um alimento biológico, peça para ver a certificação, pois infelizmente a fraude existe, e há diferentes produtores que vendem alimentos convencionais a preços de alimentos bio.

Para mais informações sobre os produtores biológicos a nível nacional, veja o site da Associação Nacional de Agricultura Biológica (Agrobio), onde pode saber quais são os mercados Agrobio a nível nacional e quais os pontos de venda, onde todos os produtos são garantidamente biológicos.

Agora que já sabe que realmente vale a pena pagar um pouco mais por alguns produtos alimentos, prefira uma alimentação bio – o seu corpo agradece!